“Kratos quase não voltou como protagonista”, diz diretor do último God of War

Por Rafael Arbulu | 27 de Junho de 2019 às 12h57
Divulgação
Tudo sobre

Sony

Saiba tudo sobre Sony

Ver mais

Você imagina God of War sem Kratos? Os estúdios Sony Santa Monica já consideraram essa ideia. Segundo o diretor do jogo mais recente da franquia, Cory Barlog, durante o desenvolvimento do título membros da equipe sugeriram se livrar do ex-Deus da Guerra e retornar a série com um novo protagonista.

“Nós listamos [as ideias] e começamos a falar delas ponto a ponto, uma por uma, tentando determinar coisas como ‘Se a gente tirar isso, ainda é God of War?’ Mesmo nas primeiras discussões, algumas pessoas diziam que a gente tinha que se livrar do Kratos”, explicou Barlog durante painel no Gamelab Barcelona.

Cory Barlog, diretor de God of War (PS4), afirma que Kratos quase não voltou ao jogo como protagonista

God of War, o mais recente retorno à icônica franquia exclusiva do PlayStation, foi lançado em 20 de abril de 2018, trazendo Kratos de volta ao protagonismo, desta vez dentro da ambientação da mitologia nórdica. O jogo introduziu novas mecânicas de gameplay graças à presença do filho do herói, Atreus, controlado pela inteligência artificial, mas com recursos de combate acionáveis pelos botões do joystick.

“Tinha esse monte de gente no estúdio dizendo coisas como ‘Chega de Kratos, ele é irritante, ele já era’. E eu já tinha decidido desde o começo: ‘eu quero usá-lo’, porque eu queria ver se conseguiríamos reverter a situação do personagem, ver se conseguimos pegar alguém que as pessoas odeiam, sabe, ou então que gostam de odiar?”, continuou o diretor.

Cory Barlog explicou que, durante esse processo, ele percebeu que God of War tem significados diferentes para diferentes pessoas: alguns, segundo ele, pensavam que a ambientação do jogo na mitologia grega era essencial à franquia. Como vimos, não foi esse o caso com o último jogo, onde Kratos se vê em confronto direto com Baldur e outras divindades nórdicas.

Imagem: Divulgação/Sony Santa Monica

O diretor conta, porém, que Kratos era uma espécie de pilar central da marca God of War. Ainda que a discussão tenha trazido um dos jogos mais bem-sucedidos do ano de 2018 pela crítica especializada (incluindo a nossa), a jornada até ele não foi das mais simples. Barlog conta que elementos do gameplay também estavam sendo reavaliados, como partes de progressão em plataforma, a disposição da câmera e até o uso das conhecidas Lâminas do Caos, as armas originais de Kratos.

“Eu acho que eles simplesmente não curtiam o personagem. Eles queriam um personagem novo e eu acho que o que eles realmente queriam era vê-lo mudar. Então tive que convencer muita gente e dizer ‘Não, não, não, eu acho que essa é uma boa ideia, precisamos seguir com ela’”, contou.

Fonte: VG247

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.