Jogadores de Minecraft já podem baixar skins com mais tranquilidade

Por Felipe Demartini | 20 de Abril de 2018 às 11h32

A Mojang anunciou a aplicação de novas medidas de segurança à seu serviço oficial de download de skins para Minecraft. Após um alerta da Avast, empresa de segurança que fabrica um dos principais antivírus do mercado, a desenvolvedora do game de sucesso atualizou a forma como sua plataforma disponibiliza os arquivos, removendo deles todos os dados que não estejam relacionados ao visual das modificações em si.

A ideia é garantir mais confiabilidade para os downloads, principalmente feitos por crianças, para aplicação no game. E, claro, acabar com a ameaça exibida pela Avast, que demonstrou como hackers estão inserindo códigos maliciosos em arquivos no formato PNG, o mesmo usado nas skins de Minecraft, que são executados juntamente com a modificação em si.

Na maioria dos casos citados pela empresa de segurança, as tarefas realizadas de forma indevida seriam “básicas”, como formatar o HD ou deletar arquivos específicos. Entretanto, isso poderia tomar um caráter maior caso os hackers descobrissem novas maneiras de executar códigos. Segundo os números da Avast, cerca de 50 mil contas registradas no serviço oficial da Mojang já teriam sido vítimas desse tipo de exploração maliciosa.

Participe do nosso GRUPO CANALTECH DE DESCONTOS do Whatsapp e do Facebook e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.

A mudança não acaba com a ameaça, mas, pelo menos, aumenta a confiabilidade da ferramenta oficial de Minecraft. De acordo com a Mojang, mods infectados ainda podem ser encontrados livremente em sites que oferecem até tutoriais de instalação – a Google Play Store também vive cheia deles –, mas a execução de tais códigos, agora, passa a ser de responsabilidade do próprio usuário.

Apesar disso, a desenvolvedora dá os avisos de sempre, principalmente em relação ao uso constante de antivírus e a manutenção de soluções de segurança, que devem estar sempre ativas e atualizadas. Caso um código malicioso seja executado, existem grandes chances de que ferramentas desse tipo façam a detecção e impeçam danos à máquina.

Mesmo para os infectados, a Avast alerta que não foram encontradas instâncias de mods usados para roubo de dados, controle remoto de máquinas e outras operações que normalmente fazem parte do arsenal hacker. Isso indicaria, segundo a empresa de segurança, a ausência de atuação de criminosos virtuais, o que pode até diminuir o perigo, mas não a ameaça em si.

Fonte: Mojang

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.