Fortnite | Processo afirma que jogo é tão viciante quanto usar cocaína

Por Wagner Wakka | 08 de Outubro de 2019 às 13h12
Epic Games

Jogar Fortnite é como usar cocaína. Essa é a comparação que aparece em um processo contra a Epic Games no Canadá, acusando a empresa de ter criado um jogo que é viciante demais. 

O documento foi registrado na última sexta-feira (4) no Tribunal Superior de Quebec contra a desenvolvedora do título Battle Royale. De acordo com o processo, usuários já tiveram que buscar ajuda por conta do vício, o que motivou a movimentação. 

“O vício em Fortnite tem consequências reais para a vida dos jogadores: muitos não comem nem tomam banho, nem mesmo se socializam”, aponta o documento publicado pelo jornal Global News. 

Em entrevista à AFP, o advogado de acusação Jean-Philippe Caron disse que a companhia usou “psicólogos para ajudar a tornar o jogo mais viciante”. Ainda, para ele a empresa falhou em avisar sobre os riscos e perigos do título. O processo ainda corre em aberto. 

Esta não é a primeira vez que um jogo ou modalidade de videogame recebe esse tipo de tratamento. Há dois anos, surgiu uma forte discussão sobre o caráter viciante das loot boxes. Essas são caixas de itens que jogadores podem adquirir sem necessariamente saber o que tem dentro delas. 

A prática também foi associada a técnicas de vício, o que faz com que games que contam com a mecânica fossem banidos em alguns mercados ou atualizados para retirada das loot boxes

Fonte: CNET

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.