BIG Festival | GRIS e game brasileiro Adore são grandes vencedores do festival

Por Wagner Wakka | 01 de Julho de 2019 às 10h43
Wagner Wakka/Canaltech

O Brazil's Independent Games Festival (BIG Festival) 2019 escolheu os melhores jogos da feira, de acordo com júri especializado, na última sexta-feira (28) em evento na capital paulista. No total, 54 jogos de 22 países participaram da competição em 20 categorias. Entre, os brasileiros, o que se saiu melhor foi Adore, do estúdio independente Cadabra Games. Já o prêmio de melhor produção foi para GRIS, do espanhol Nomada Studio.

O evento, este ano, contou com duas novas categorias. Houve parceria com a Nordic Game com a primeira etapa do Nordic Game Discovery Contest no Brasil, evento que premia melhores jogos em todo mundo. O vencedor foi Grashers, do estúdio Pink Array.

A outra novidade foi a premiação de novos desenvolvedores com o Humble BIG New Talent Award, em parceria com a loja digital Humble Bundle. O título Space Routine, da Menic Games, levou a melhor.

Participe do nosso Grupo de Cupons e Descontos no Whatsapp e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.

Brasil 

Nos prêmios mais importantes da celebração, Adore foi o escolhido como o melhor título brasileiro. O game se destacou por oferecer um bom controle dos personagens na tela. “Adore é um roguelike de ação em que o personagem principal pode controlar múltiplas criaturas de uma forma simples através dos botões do controle. Você tem essa experiência de invocar criaturas bem facilitada”, explicou Thiago Carneiro, produtor do jogo.

Ele desenvolve o Adore em parceria com outros dois amigos: Diogo Carneiro, artista e game designer; e Thiago Targino, que trabalha como programador. O grupo é de Campo Grande, no Mato Grosso do Sul, e ainda não sabe bem quando o título deve chegar ao mercado.

“O projeto é novo, não tem nem dois anos. A gente começou agora na indústria de games e é incrível levar este prêmio”, confessa Carneiro. “O jogo ainda está em desenvolvimento. Queremos contar com acesso antecipado ainda este ano, mas ainda tem muito conteúdo para produzir e muito para lapidar. Estamos muito contentes com o desenvolvimento dele”, completa.

Segundo o júri técnico, Adore levou o prêmio “contando com uma direção de arte interessante e jogabilidade fluida, o jogo representa bem o crescimento do cenário de desenvolvimento de games brasileiros”, justificou o júri.

O Brasil também se destacou em outras categorias: Pixel Ripped 1989 (ARVORE Immersive Experiences) foi o melhor jogo em realidade virtual; Cidade em Jogo (Fundação Brava e Flux Games) ficou com o prêmio de melhor jogo educacional; o de Diversidade foi para Huni Kuin: Yube Baitana (Bobware/Beya Xinã Bena); mobile para Starlit On Wheels (Rockhead Studios); brands para Authentic Game Oficial (Little Giants Studio); e o público escolheu Spaceline Crew (Coffeenauts) como o seu preferido. Também houve premiação da Nordic Games para o já citado Crashers.

Fora da competição, o BIG Festival também contou com uma mostra não-competitiva, o Panorama Brasil, com 21 games locais.

Maior prêmio

O título de melhor jogo do BIG Festival deste ano foi para GRIS. O game de plataforma em 2D traz uma personagem em busca de recuperar as cores em seu mundo (a palavra "gris" significa cinza em francês) em toda uma metáfora sobre a superação do luto.

Lançado no ano passado pelo Nomada Studios e publicado pela Devolver Digital, o game conta com análise aqui no Canaltech. O grupo não pode vir ao evento, mas celebrou a vitória pelo Twitter.

“Obrigado ao Big Festival pelo prêmio de melhor arte e melhor jogo. E também ao nosso belo amigo Rodrigo Battelli por nos representar lá. Parabéns a todos os ganhadores”, escreveu o grupo. Batelli faz parte da equipe de comunicação da Devolver Digital no Brasil.

O júri internacional que participou da escolha dos vencedores foi Alisher Yakubov, Astrid Huntjens, Chris Buffa, Chris Lefebvre, Martina Santoro e Naheda Noori. “Completo em todos os aspectos, este jogo proporciona uma experiência emocional singular”, comentaram sobre GRIS.

Veja a lista completa dos vencedores:

  • Melhor Jogo: GRIS (Nomada Studio), da Espanha
  • Melhor Jogo Brasileiro: Adore (Cadabra Games), do Brasil
  • Melhor Jogo da América Latina: Quantum League (NGD Studios), da Argentina
  • Melhor Arte: GRIS (Nomada Studios), da Espanha
  • Melhor Narrativa: Forgotton Anne (ThroughLine Games), da Dinamarca
  • Melhor Gameplay: JUMPGRID (Ian MacLarty), da Austrália
  • Melhor Som: Unheard (NEXT Studios), da China
  • Inovação: Pixel Ripped 1989 (ARVORE Immersive Experiences), do Brasil
  • BIG Impact: Educacional: Cidade em Jogo (Fundação Brava e Flux Games), do Brasil
  • BIG Impact: Questões Sociais: Marie's Room (like Charlie), da Bélgica
  • BIG Impact: Melhor Jogo de Diversidade: Huni Kuin: Yube Baitana (Bobware/Beya Xinã Bena), do Brasil
  • Melhor Jogo de Estudante: Burning Daylight (The Animation Workshop), da Dinamarca
  • Melhor Jogo Mobile: Starlit On Wheels (Rockhead Studios), do Brasil
  • Melhor Multiplayer: Spitlings (Massive Miniteam GmbH), da Alemanha
  • Melhor Jogo Infantil: It's Paper Guy! (The Paper Team), da França
  • Melhor Jogo XR/ VR: Moss (POLYARC GAMES), dos Estados Unidos
  • BIG Brands: Authentic Game Oficial (Little Giants Studio), do Brasil
  • Humble BIG New Talent Award: Space Routine (Menic Games), da Argentina
  • Nordic Game Discovery Contest: Grashers (Pink Array), do Brasil
  • Melhor Jogo pelo Voto Popular: Spaceline Crew (Coffeenauts), do Brasil
Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.