Mundial de Fortnite tem 1,2 mil contas banidas e jogadores devolvendo prêmios

Por Rafael Arbulu | 22 de Abril de 2019 às 15h32

Uma investigação conduzida pela Epic Games rendeu o banimento de 1,2 mi contas de Fortnite, após a realização das primeiras partidas qualificatórias do jogo, de março a abril. Vários jogadores — alguns, já premiados em dinheiro — foram também forçados a devolver suas “conquistas” após a produtora americana identificar o uso de artifícios ilegais para assegurar bons desempenhos na competição.

Ainda que alguns jogadores tenham de fato usado softwares específicos de trapaça, eles são a minoria, já que a Epic diz que seus sistemas de detecção costumam fechar o cerco em tais programas rapidamente. A maior parte da contas banidas, entretanto, valeu-se de outros subterfúgios: algumas delas eram compartilhadas entre várias pessoas, o que lhes permitia jogar com a mesma conta em várias regiões do mundo, além de assegurar desempenho exemplar incoerente com o volume de partidas e conquistas feitas normalmente.

Métodos ilegais estão rendendo bans em várias contas de Fortnite durante competição mundial do jogo

Das contas banidas, 196 abriram mão ou devolveram prêmios em dinheiro que conquistaram por meio do torneio por contornar as travas de região da empresa. Nove contas perderam suas premiações por compartilhamento indevido e ao menos uma delas foi penalizada por formação de times. Segundo as regras competitivas de Fortnite, é uma violação de conduta quando dois ou mais jogadores dos modos online solo se juntam para criar uma vantagem injusta a outros competidores.

Participe do nosso Grupo de Cupons e Descontos no Whatsapp e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.

A empresa ainda afirma que, diante do alto número de contas banidas, o volume de denúncias foi ainda maior, mas muitas das preocupações dos usuários eram injustas ou infundadas.

“Nós apreciamos a preocupação da comunidade quanto à integridade da competição”, disse a Epic, “mas questionar os resultados de um participante individual sem evidências diretas traz uma tratativa injusta ao que deveria ser um momento único de conquista para um jogador ou equipe que fizeram por merecer e mostraram desempenho quando necessário. Nosso objetivo primário é o que dar suporte à competição divertida, inclusiva e alinhada com o espírito de Fortnite. Condutas antidesportivas não fazem parte desse espírito, e não serão toleradas nas competições de Fortnite”.

O mundial de Fortnite terá a sua final nos dias 26, 27 e 28 de julho, em Nova York. Os líderes da ocasião compartilharão um prêmio de US$ 1 milhão.

Fonte: Polygon

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.