FFWS | Corinthians consegue virada histórica e é campeão mundial de Free Fire

Por Felipe Ribeiro | 16 de Novembro de 2019 às 18h34
Garena

E o título da Free Fire World Series fica no Brasil! O Corinthians conseguiu uma virada histórica e sagrou-se campeão mundial de Free Fire. Depois de ver os russos da Sbornaya_ChR liderarem o certame quase que o tempo todo, o Timão conseguiu emendar dois Booyahs nas últimas duas quedas para conseguir a virada, chegando aos 2300 pontos, contra 2190 dos russos e 2020 dos Illuminate, da Costa Rica.

O Corinthians, atual campeão da Free Fire Pro League, foi muito bem e apresentou a mesma consistência vista no torneio nacional. A Loud, infelizmente, não apresentou uma estratégia correta, com quedas bem irregulares e poucos abates, uma das piores equipes da competição.

Para Nobru, um dos destaques do Corinthians, as equipes adversárias vieram muito bem preparadas para enfrentá-los, ao contrário do que aconteceu com competidores brasileiros quando foram ao mundial no exterior. "Os gringos estudaram a gente muito bem, tanto que, ontem à noite, decidimos mudar nosso local de queda. Mas, ao mesmo tempo, usamos as armas que eles não estão tão acostumados e isso acabou nos ajudando", disse Nobru em entrevista ao Canaltech.

Além do título, o Corinthians levou um prêmio de US$ 200 mil para casa.

Evento grandioso

A Garena não está de brincadeira. Pela primeira vez realizando a World Series no Brasil, a empresa chinesa sabia que teria de fazer um evento de impacto para mostrar que, de fato, veio para ficar e que Free Fire é o game do momento no país. Não deu outra. Com dois shows de abertura incrivelmente bem produzidos, o público sentiu que está sendo abraçado pela empresa e que muito mais pode vir por aí.

Imagem: Garena

Para começar, MC Jotapê e Mano Brown com a música Zé Guaritinha, com um misto de funk e rap; depois, a grande estrela da abertura, o DJ Alok, com a música Vale Vale, que levou o público ao delírio e embalou a entrada dos jogadores para a competição.

A final, queda a queda

1ª queda: Booyah - Illuminate

Jogo bem complicado, com os times mais brigando pela sobrevivência do que buscando a trocação, sempre ficando no limite das safes zones e flanqueando na medida do possível. A Illuminate, da Tailândia, foi um pouco mais ousada e foi premiada com uma vitória indiscutível. O Corinthians, mesmo não apresentando a mesma consistência de outros tempos, teve em Fixa, o MVP da Pro League, seu grande trunfo para garantir o segundo lugar. A Loud ficou em sétimo.

2ª queda: Booyah - Sbornaya

Corinthians começa para cima da Dranix (Indonésia) e elimina a equipe, já garantindo 80 pontos logo de cara. O Timão, aliás, conseguiu 10 kills nessa queda, o que ajudou a garantir o segundo lugar na partida e o primeiro no geral até aquele momento, com Japa abatendo 7 jogadores. Os russos da Sbornaya, por sua vez, adotaram um estilo mais conservador para garantir o Booyah, com rotações controladas e trocações sempre assertivas. A Loud, apesar de ter feito uma boa rodada, ficou novamente em sétimo.

3ª queda: Booyah - Sbornaya

Dessa vez adotando um estilo mais agressivo, os russos da Sbornaya fizeram uma partida quase perfeita, com 11 kills. Já o Corinthians, que apresentava sua consistência já característica, tentou ousar mais indo para a trocação, porém, em grupos de dois. Com os abates de Japa e Nobru a coisa acabou ficando complicada e os campeões brasileiros foram eliminados. Já a Loud, fez sua pior apresentação no certame até então, caindo logo no começo do jogo.

Imagem: Garena

4ª queda: Booyah - Infinity Esports

A quarta queda foi a pior para os brasileiros. No entanto, mesmo com nenhuma das duas equipes no top 3, a Loud mudou o seu estilo antes do esperado e foi mais agressiva, conquistando o maior número de kills da rodada, com 11. Os costarriquenhos da Infinity também acordaram e, com um posicionamento, "acampando" em uma região alta em Purgatório, efetuou abates importantes e conseguiu o Booyah de maneira tranquila. O Corinthians terminou essa queda em sétimo.

5ª queda: Booyah - LGDS

Um dos favoritos acordou. Os taiwaneses da LGDS finalmente venceram uma queda e se colocaram na briga a essa altura. Aproveitando-se da lentidão das demais equipes e de um combate ferrenho entre Corinthians e Sbornaya, a LGDS acabou levando vantagem para fazer seu Booyah. O Corinthians, por sua vez, adotou uma postura mais cautelosa para chegar ao final e obter uma boa pontuação por colocação - neste caso, mais um segundo lugar. Os russos da Sbornaya, em terceiro, ainda lideravam com folga a World Series.

A Loud decepcionou no mundial de Free Fire/ Imagem: Garena

6ª queda: Booyah - LGDS

Não disse que eles tinham acordado? A LGDS praticamente repetiu a estratégia da última queda e venceu com facilidade esta campanha, com os russos da Sbornaya em segundo e com boa pontuação. Corinthians e Loud foram muito mal, com o time verde sendo um dos primeiros a caírem.

7ª queda: Booyah - Corinthians

Finalmente o primeiro Booyah para o Brasil. O Corinthians, que fez uma substituição (trocou Japa por Pires), foi bem mais agressivo, encaixou uma rotação perfeita e venceu fácil a sétima queda. Os russos da Sbornaya, mesmo com boa parte do jogo com apenas um jogador, ficaram em segundo.

Level Up foi decisivo para o título/ Imagem: Garena

8ª queda: Booyah - Corinthians

Para a surpresa de todos, a virada. O Corinthians fez uma queda quase perfeita e conseguiu rumar ao título mundial, superando em 200 pontos os russos da Sbornaya, que haviam liderado toda a competição. Isso foi possível, porque os então líderes caíram muito cedo, terminando em 9º lugar. O Timão aproveitou-se disso, e com Level Up e Pires inspirados, conseguiram o Booyah que determinou a vitória.

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.