Lyft sofre denúncia de que funcionários teriam rastreados clientes do aplicativo

Por Redação | 26 de Janeiro de 2018 às 11h53
Reprodução

A vida das empresas de aplicativos de carona segue não sendo nada fácil. Acusações de todos os tipos surgem regularmente. Se antes era a Uber que sofria com denúncias de assédio e espionagem sobre dados dos clientes, agora chegou a vez da concorrente Lyft.

A denúncia desta vez é de espionagem feita por funcionários da Lyft, que teriam acessado dados de viagem de clientes por motivos pessoais, sem autorização.

Uma denúncia anônima feita por um ex ou atual funcionário (essa informação ainda não está confirmada) revelou que profissionais da empresa rastrearam as viagens de seus parceiros afetivos, ou seja, deram aquela stalkeada nos namorados e crushes.

Participe do nosso GRUPO CANALTECH DE DESCONTOS do Whatsapp e do Facebook e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.

E não ficou só nessa vigilância amorosa. Os funcionários da Lyft também buscaram informações de celebridades que usaram o aplicativo.

Por enquanto, a Lyft confirma que engenheiros têm acesso aos dados, mas o problema é que a denúncia vai além e relata que houve solicitação de acesso para rastrear viagens.

Rastro digital

O denunciante informou que as pesquisas registram o nome de quem solicitou acesso aos dados na página do cliente. Dessa forma, se alguém da Lyft buscou informações por meio de ferramentas operacionais, seu nome ficaria registrado no sistema.

A Lyft afirmou que quem buscou dados sigilosos será demitido. Segundo a empresa, essa é uma violação que contraria as políticas da Lyft.

A empresa ainda não confirmou se já identificou os funcionários que teriam acessado dados sigilosos. 

Fonte: 9to5Mac

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.