Documentos mostram que NSA pode ter sido hackeada

Por Redação | 16 de Agosto de 2016 às 14h38
photo_camera Divulgação

Documentos confidenciais revelados durante o último final de semana mostram que a NSA, agência que cuida da segurança nacional do governo dos Estados Unidos, pode ter sido vítima de um ataque hacker. Como se a revelação de conversas confidenciais entre políticos e representantes dos partidos Democrata e Republicano já não fossem suficientes, surgiram também esquemas que mostram o funcionamento de ferramentas de espionagem utilizadas pela organização para captar comunicações a partir de dispositivos móveis.

A Casa Branca não se pronunciou sobre a invasão, mas especialistas de segurança afirmam que os dados vazados são verídicos e datam de meados de 2013. Eles teriam sido obtidos pelo grupo de hackers The Shadow Brokers, que agiria em serviço do governo russo. E para piorar as coisas, os invasores estariam oferecendo as ferramentas de espionagem usadas pelo governo dos EUA, em troca de milhões de dólares em bitcoins, em um movimento que pode não apenas interromper operações já em andamento, mas também voltar as armas do país contra sua própria infraestrutura.

Edward Snowden, o especialista em segurança e responsável pelo vazamento de diversas informações confidenciais do governo dos EUA ao longo dos últimos anos, também confirma a veracidade dos documentos e a venda das ferramentas. E, mais do que isso, atribui a invasão à “preguiça” de hackers contratados pela própria NSA, que teriam deixado os softwares em servidores usados para operações. A brecha de segurança teria ocorrido a partir dali, e o delator, inclusive, afirma que esta não é a primeira vez que algo assim acontece.

Os arquivos pertenceriam ao Equation Group, um time terceirizado de especialistas contratados para conduzir operações de hacking e espionagem. Os motivos para o vazamento, então, seriam diplomáticos. Para Snowden, que concorda com a ideia de que o ataque poderia ter origens russas, a ideia é espalhar o conhecimento que os EUA possuem sobre os sistemas móveis vigentes, ao mesmo tempo em que os responsáveis demonstram a capacidade de atribuírem ataques e operações de invasão ao governo americano.

O especialista explica que, após uma operação, os hackers contratados pela NSA devem retirar as suas ferramentas dos servidores utilizados e limpar todos os rastros de que passaram por lá. A preguiça citada por Snowden também estaria associada a um excesso de confiança na segurança da infraestrutura, mesmo com ataques desse tipo não sendo inéditos. O vazamento das informações e a venda de softwares, entretanto, nunca havia ocorrido.

O delator conclui afirmando que os dados de três anos atrás podem ser apenas a ponta do iceberg, mas que que o responsável pela invasão original perdeu o acesso aos servidores em junho de 2013. Ainda assim, o ataque é prova de sua possibilidade, e faz pensar que mais operações do tipo possam estar sendo realizadas contra os Estados Unidos por governos estrangeiros. Snowden afirma que a NSA “não é feita de magia” e, sendo assim, outras agências seriam plenamente capazes de realizar o mesmo tipo de trabalho realizado por ela.

Fontes: Edward Snowden (Twitter), Foreign Policy

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.