Vídeo mostra detalhes de Fobos, lua de Marte, capturados por sonda da ESA

Por Daniele Cavalcante | 14 de Dezembro de 2019 às 20h00
ESA

A Mars Express, sonda lançada pela Agência Espacial Europeia (ESA) em 2003, capturou novas imagens de Fobos, a pequena e irregular lua de Marte (que faz companhia para a ainda menor Deimos). A sequência de fotos mostra o satélite nagural em diferentes ângulos, revelando os movimentos e a superfície de Fobos em detalhes. No total, são 41 imagens, que foram compiladas pela ESA para o formato de vídeo.

Essas imagens foram capturadas no dia 17 de novembro, quando Fobos passou pela Mars Express a uma distância de 2.400 km, permitindo que a sonda fosse capaz de “ver” muitas características na superfície da lua - como as crateras causadas pelo impacto de detritos espaciais, por exemplo. Também é possível ver marcas e sulcos lineares que se assemelham a ranhuras. Ainda não se sabe a origem dessas marcas.

O vídeo mostra Fobos girando, enquanto clareia lentamente antes de começar a escurecer novamente. O ligeiro movimento para cima e para baixo da lua é causado pela pequena oscilação da Mars Express. Atualmente, a sonda é a única capaz de se aproximar desse modo da pequena lua marciana. Como ela normalmente aponta para Marte, precisou girar para fotografar Fobos.

Imagens como esta, que mostram o objeto em vários “ângulos de fase” (o ângulo entre a fonte de luz, que é o Sol, e o observador, que é a sonda), são bastante úteis porque revelam diferentes sombras projetadas na superfície. Isso destaca os relevos e crateras da superfície e permite cálculos de altura e profundidade de cada detalhe do objeto. Também revela muito sobre a rugosidade, porosidade e refletividade do próprio material da superfície.

No momento em que ângulo de fase é zero grau - ou seja, quando o Sol está diretamente atrás do observador -, toda a luz que ilumina Fobos atinge a superfície verticalmente. Por isso, ela é amplamente refletida, fazendo com que a lua se ilumine mais e as sombras desapareçam. Nesta animação, o ângulo de fase mais próximo de zero que podemos ver é de 0,92º, o que já é bastante raro. Ângulos tão perto de zero ocorrem no máximo três vezes por ano.

Este esquema acompanha a trajetória da sonda ao capturar a sequência de imagens de Phobos. O ângulo de fase (marcado como "φ" no gráfico) é o ângulo entre a fonte de luz (neste caso, o sol) e o observador (Mars Express). No vídeo gerado pela sonda, o ângulo de fase inicial é de 17 graus (A), cai para quase zero graus no meio do caminho (quando Phobos está mais brilhante, B) e depois sobe para 15 graus no final da animação (C) (Imagem: DLR)

A Mars Express terá sua próxima chance de capturar imagens de Fobos sob essa luz solar direta em abril e setembro de 2020. Em setembro, ela poderá atingir um ângulo de fase de zero grau.

Fonte: ESA

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.