Veja como seria a Terra se observada por um alienígena em um mundo distante

Por Daniele Cavalcante | 27 de Agosto de 2019 às 13h15
Bill Anders/NASA
Tudo sobre

NASA

Saiba tudo sobre NASA

Ver mais

Apenas nos últimos dez anos, os astrônomos descobriram mais de 4.000 exoplanetas até então desconhecidos. Nós, seres humanos, apontamos telescópios para esses mundos, e tentamos decifrar suas condições atmosféricas, superfícies e as possibilidades de abrigarem vida. Normalmente, vemos apenas a sombra do planeta ao passar na frente de sua estrela, e a visão que temos não é nem um pouco precisa. Mas e em uma situação inversa? Como será que um astrônomo alienígena de desses planetas enxergariam a Terra, se olhasse para cá?

Usando dados de vários comprimentos de onda da Terra, uma equipe de cientistas do Caltech criou um mapa mostrando como seria a Terra para observadores alienígenas de mundos distantes. Este é mais um estudo interessante que pode ajudar os pesquisadores a saber o que procurar quando estiverem olhando para o espaço em busca de planetas parecidos com a Terra e potencialmente habitados.

Intitulado Earth as an Exoplanet: A Two-dimensional Alien Map (“A Terra como um Exoplaneta: Um Mapa Alienígena Bidimensional”, em tradução livre), o estudo foi publicado recentemente na revista Science Mag e é liderado por Siteng Fan. Também conta com vários pesquisadores do Division of Geological and Planetary Sciences (que faz parte do Caltech) e do Jet Propulsion Laboratory da NASA.

O método para procurar exoplanetas potencialmente habitáveis fora do Sistema Solar é a abordagem indireta, já que não podemos observar estes mundos distantes diretamente. Por isso, os cientistas procuram por características que indicam como o planeta é "parecido com a Terra". Para Fan, “os estudos atuais sobre exoplanetas não descobriram quais são os requisitos mínimos para a habitabilidade”. Ele afirma que, embora alguns critérios tenham sido propostos, ainda não se sabe se eles são suficientes. Além disso, as técnicas atuais de observação não são boas o suficiente para provar que esses critérios são corretos.

Então, a proposta de Fan é usar a Terra mais uma vez como modelo de planeta habitado (já que é o único que conhecemos com certeza científica) e criar um mapa que mostra como nosso mundo seria visto à distância por telescópios equivalentes aos nossos. "Estudar como a Terra se pareceria aos observadores distantes nos daria a direção de como encontrar potenciais exoplanetas habitáveis", disse.

Transformando a Terra em um exoplaneta

Para determinar como seria a Terra para observadores alienígenas, a equipe compilou quase 10 mil imagens do nosso planeta capturadas pelo satélite Deep Space Climate Observatory (DSCOVR) da NASA. As imagens foram tiradas a cada 68 a 110 minutos durante um período de dois anos (2016 e 2017), capturando a luz refletida da atmosfera em dez comprimentos de onda.

Então, Fan e seus colegas combinaram as imagens para formar um espectro de reflexão (ou seja, o gráfico da reflexão em função do comprimento de onda) que foi finalmente combinado ao disco da Terra. Isso reproduziu a aparência da Terra para um observador a muitos anos-luz de distância, se ele observasse a Terra por um período de dois anos.

Depois, a equipe analisou as curvas resultantes e comparou com as imagens originais, para descobrir quais parâmetros das curvas representavam a terra e quais registravam as nuvens. Então, eles escolheram os parâmetros que mais se aproximavam da área terrestre e o ajustaram à rotação de 24 horas do planeta, o que finalmente resultou no mapa 2D abaixo, representando a aparência da curva de luz da Terra a anos-luz de distância.

Imagem: Divulgação/S. Fan

As linhas pretas correspondem aproximadamente às costas dos principais continentes. A cor verde é uma representação quase irreconhecível da África (centro), Ásia (canto superior direito), América do Norte e do Sul (esquerda) e Antártica (abaixo). No meio, estão os oceanos, com as partes mais rasas indicadas em vermelho e as mais profundas em azul.

“A análise de curvas de luz neste trabalho tem implicações para determinação das características geológicas e sistemas climáticos no exoplaneta. Descobrimos que a variação da curva de luz da Terra é dominada por nuvens e terra/oceano, que são cruciais para a vida na Terra. Portanto, é mais provável que exoplanetas semelhantes à Terra, que possuam esse tipo de característica, hospedem vida”, concluiu Fan.

Fonte: Universe Today

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.