Startup quer exibir imagens em tempo real de todo o globo terrestre

Por Wagner Wakka | 20 de Abril de 2018 às 07h52
Divulgação

Uma nova startup quer distribuir imagens de toda a Terra em tempo real para que qualquer pessoa possa visualizá-las. Chamada de EarthNow, a empresa quer ir além do Google Maps e não somente disponibilizar fotos da superfície terrestre, mas oferecer vídeos ao vivo.

O ambicioso projeto é encabeçado por grandes nomes da tecnologia, entre eles Bill Gates, Greg Wyler (fundador da One Web) e empresas como Intellectual Ventures, Airbus e SoftBank. O projeto tem uma explicação muito simples: poder ver imagens da Terra em tempo real com latência de alguns poucos segundos.

Para isso, a EarthNow quer lançar uma rede de satélites para que toda superfície do planeta esteja o tempo todo sob monitoramento de algum deles. Como justificativa, a empresa diz que vai oferecer uma ferramenta com funcionalidades como monitoramento climático, sobretudo para tempestades e formação de tornados e furacões; vigília de pesca ilegal, observação de focos de incêndios em florestas, além de acompanhamento de conflitos em tempo real, como o atual bombardeamento da Síria.

Participe do nosso GRUPO CANALTECH DE DESCONTOS do Whatsapp e do Facebook e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.

Por outro lado, o projeto pode encontrar problemas com relação à privacidade de cidadãos que não queiram ter sua casa monitorada 24 horas por dia.

Embora o projeto já tenha sido lançado, ainda não há previsão de quando um protótipo estará disponível para testes. “Cada satélite é equipado com uma quantidade sem precedentes de poder de processamento, incluindo mais núcleos de CPU do que todos os outros satélites comerciais combinados”, informa o CEO da empresa, Russell Hannigan em comunicado. A empresa ainda não divulgou como pretende criar um satélite tão potente como o descrito.

O que se sabe, porém, é que os satélites serão feitos pela Airbus em laboratórios da França e Estados Unidos. Mesmo assim, a EarthNow não deixou claro quantos deles seriam necessários em órbita para que toda a superfície seja varrida em tempo real.

Para permitir o monitoramento descrito pela startup, também haverá um sistema de inteligência artificial (IA) para analisar as imagens e apontar possíveis problemas como os já citados.

O próprio comunicado da empresa reconhece que o projeto do EarthNow é “ambicioso e sem precedentes” e não apresenta quanto de investimentos a startup já levantou para tirar a ideia do papel.

Fonte: EarthNow

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.