Sonda chinesa Chang'e 4 pode ter confirmado teoria antiga sobre cratera lunar

Por Patrícia Gnipper | 16 de Maio de 2019 às 13h13
Dwingeloo Radio Observatory

Explorando o lado afastado da Lua, a sonda chinesa Chang'e 4 pode ter acabado de confirmar uma antiga teoria sobre a origem de uma grande cratera na região, justamente onde a nave pousou. Acredita-se que a vasta depressão teria sido criada a partir do impacto de um asteroide há bilhões de anos e, agora, os cientistas da missão descobriram evidências de que tal impacto teria sido tão poderoso a ponto de perfurar a crosta lunar (que tem 50 km de profundidade), adentrando a camada abaixo do manto.

É que a sonda identificou o que parecem ser rochas provenientes do manto lunar, só que na superfície, indicando, então, que tais rochas vieram do interior da crosta por meio de um impacto realmente poderoso. Acredita-se que a bacia em questão tenha pelo menos 3,9 bilhões de anos, e o asteroide que esculpiu tal paisagem deve ter tido cerca de 170 km de largura.

A Cratera Von Kármán, onde está a Chang'e 4 (Foto: CNSA)

Até então, dados obtidos por meio de sondas orbitais na Lua foram inconclusivos quanto à presença de rochas do manto na superfície, mas as análises da missão chinesa, que identificou rochas com uma composição química muito diferente das encontradas em outros lugares da Lua, sugerem que essas rochas contêm minerais que se encaixam no perfil de rochas do manto lunar.

Agora, a equipe chinesa quer continuar a análise dessas rochas, bem como pretende encontrar outras do tipo para mais estudos, de repente com o envio de uma outra missão lunar para recolher amostras dessas rochas e trazê-las à Terra.

A Chang'e 4 foi a primeira nave da história a pousar no lado afastado da Lua, o que aconteceu em janeiro deste ano. Este hemisfério lunar, que nunca conseguimos ver daqui da Terra, é mais robusto do que o outro lado da Lua, e tem menos planícies escuras formadas por antigas erupções vulcânicas. A sonda é estacionária, mas ela levou consigo um rover chamado Yutu-2 para explorar a região ao seu redor — uma bacia de impacto de 180 km de largura chamada Cratera Von Kármán. Essa cratera fica dentro da Bacia do Polo Sul-Aitken, com 2.300 km de largura, cobrindo quase um quarto da circunferência da Lua.

Fonte: BBC

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.