Rússia imagina satélites autodestrutivos para resolver problema do lixo espacial

Por Patrícia Gnipper | 14 de Agosto de 2019 às 23h30

De acordo com dados da NASA, existem hoje ao redor do nosso planeta cerca de 20 mil objetos artificiais em órbita, sendo que mais de 80% desse total hoje em dia nada mais é do que lixo espacial — ou seja, satélites que já não estão mais em funcionamento, além de um montão de detritos, o que representa perigos cada vez mais iminentes para satélites em funcionamento, além de naves espaciais e a própria Estação Espacial Internacional. Mas a Rússia tem uma ideia para resolver o problema.

A Roscosmos (agência espacial russa) registrou a patente de um satélite capaz de se autodestruir após o fim de sua missão. Tal satélite, digamos, "sustentável", usaria materiais propensos à sublimação (ou seja, passar de um estado sólido para um estado gasoso sem se tornar líquido no meio do caminho) em determinadas temperaturas. Basicamente, a ideia é lançar satélites que simplesmente se transformariam em vapor na órbita da Terra, e o comando de autodestruição seria enviado por controladores daqui da Terra mesmo.

No entanto, a ideia por enquanto se trata apenas de uma patente devidamente registrada, e não há garantia alguma de que tal tecnologia será mesmo aplicada em satélites reais em um futuro próximo, ou talvez nem tão próximo assim. Mas parece uma boa ideia, não?

Fonte: Space Daily

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.