Rússia enviará para o espaço um robô com senso de humor

Por Daniele Cavalcante | 21 de Agosto de 2019 às 09h34

A Rússia já agendou a viagem do seu robô F-850 para o espaço: 22 de agosto de 2019. Trata-se do mesmo robô que o país de Putin tem desenvolvido há alguns anos, e anteriormente era conhecido como FEDOR (sigla em inglês para “experimento demonstrativo final de objeto de pesquisa”). A máquina humanoide estará na cadeira de comandante da espaçonave e voará até a Estação Espacial Internacional (ISS).

Esta é a primeira vez em que um robô se sentará no lugar do comandante da espaçonave, e não no compartimento de carga. Quando ele estiver a bordo da ISS, realizará várias tarefas sob o controle do cosmonauta Aleksandr Skvortsov e poderá se comunicar com a tripulação espacial.

Alimentado por inteligência artificial, este robô autônomo pode executar tarefas como manter seu equilíbrio, dividir seus movimentos gerais em diferentes funções locomotoras separadas, além de fornecer suporte especializado para a tripulação. Ele também pode trabalhar em um "modo avatar", que o deixa completamente controlado remotamente por um operador.

Antes do lançamento da nave não tripulada, com o foguete Soyuz-2.1a, a máquina será capaz de reportar tudo o que for necessário sobre as operações de pré-lançamento e, da mesma forma, transmitirá os parâmetros de vôo e os eventos observados quando estiver rumo a seu destino. Por fim, quando a espaçonave entrar em órbita, o robô vai determinar a sobrecarga e o início da gravidade zero.

Ele também será capaz de conversar sobre praticamente qualquer assunto que alguém iniciar. "Como qualquer pessoa, o Skybot F-850 é muito sociável e tem senso de humor", disse Alexander Bloshenko, consultor científico da Roscosmos, a agência espacial russa. "Ele pode manter qualquer tema de conversa e responder a uma variedade de questões: desde as boas-vindas a comentários, continuando com um discurso sobre seus criadores e terminando com a filosofia do espaço".

Ainda de acordo com Bloshenko, o Skybot F-850 também passará por alguns testes e vai copiar as ações dos astronautas que estão a bordo da ISS. A expectativa é que as futuras versões do robô sejam também capazes de executar tarefas fora da estação espacial. Assim, eles seriam úteis para realizar reparos na estrutura, por exemplo, o que diminuiria os riscos a que os astronautas humanos são submetidos.

Fonte: Roscosmos

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.