Objeto misterioso é visto no céu da Austrália e intriga cientistas

Por Daniele Cavalcante | 17 de Junho de 2020 às 20h20

Um rastro de luz azul cortou o céu nesta segunda feira (15) no oeste da Austrália, surpreendendo tanto astrônomos como corujas. De acordo com a notícia veiculada pela ABC News, o fenômeno foi observado na região de Pilbara, além das regiões norte e sul do país.

De acordo com Glen Nagle, gerente educacional e de divulgação da estação observacional CSIRO-NASA, na região de Canberra, “foi uma observação espetacular”. O CSIRO é um órgão nacional para pesquisa científica na Austrália, e sua parceria com a NASA garante avanços na pesquisa espacial desde 1960.

Muitos observadores registraram o evento em vídeos que circularam em redes sociais, o que resultou em muitas visualizações pela internet. O evento observado foi uma aparente bola de fogo cortando o céu compassadamente, com a cabeça amarela ou laranja, e uma pequena cauda. Aos poucos, o corpo se torna completamente azulado.

Ainda não se sabe o que era o objeto, ou sua composição, para que o efeito de combustão gerasse tal cor nas chamas. Porém, pode-se especular de que uma alta quantidade de ferro seja a responsável por este efeito. Algumas especulações amadoras sugerem que o objeto fosse lixo espacial, como algum satélite ou parte de um foguete recém-lançado que reentrou na atmosfera.

Entretanto, Renae Sayers, pesquisadora embaixadora da do Centro de Ciência Espacial e Tecnologia da Universidade Curtin discorda, argumentando que fragmentos de satélites ou foguetes geralmente apresentam uma aparência de fogos de artifício, já que são vários pequenos objetos caindo descontroladamente. Já as filmagens mostram um raio de luz compassado e constante, muito mais característicos de objetos espaciais naturais, como meteoritos.

A pesquisadora relembra um evento semelhante, documentado também sob o céu australiano no ano de 2017, em que uma bola de fogo, em vez de ser consumida na atmosfera ou atingir o chão, simplesmente ricocheteou de volta para o espaço. A bola de fogo registrada no dia 15 pode ter sofrido o mesmo destino.

Fonte: ABC

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.