O que existia antes do Big Bang? Stephen Hawking responde

Por Patrícia Gnipper | 06 de Março de 2018 às 08h38

Uma das maiores questões nunca respondidas de maneira concreta com relação ao nosso universo é justamente esta: o que existia antes do Big Bang? Mas, agora, um dos físicos teóricos mais respeitados do mundo acredita ter a resposta. Ou alguma resposta, ao menos.

Stephen Hawking disse, durante bate-papo com o astrofísico Neil deGrasse Tyson no programa Star Talk, da National Geographic, que "a condição do limite do universo… é que ele não tem uma fronteira". Em outras palavras, Hawking entende que não existe tempo antes do início do tempo, já que o tempo sempre esteve lá. Essa declaração se baseia em uma teoria chamada "proposta sem limites".

Confuso… mas Hawking também explicou que, em meio à espuma quântica quase que infinitamente pequena da singularidade existente antes do Big Bang, o tempo existiria em um estado "curvado". Então, foi distorcido ao longo de outra dimensão. Singularidade é o nome da extremamente massiva "bola" subatômica que teria originado o universo, por meio de um processo de expansão, sendo que, ali, as leis da física não teriam funcionado da maneira como as entendemos.

Participe do nosso GRUPO CANALTECH DE DESCONTOS do Whatsapp e do Facebook e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.

"Todas as evidências parecem indicar que o universo não existirá para sempre, mas que teve um começo, há cerca de 15 bilhões de anos". Portanto, "deve ter havido um começo". Contudo, "uma vez que eventos ocorridos antes do Big Bang não têm consequências que podemos observar, também não há como afirmar que o tempo começou no Big Bang. Eventos antes disso simplesmente não são definidos, porque não há como medir o que aconteceu com eles".

Mas Hawking, depois de expor todos os contrapontos sobre o assunto, declarou que "a teoria quântica apresenta uma nova ideia: a do tempo imaginário". Esse tempo imaginário "pode soar como ficção científica, mas, no entanto, é um verdadeiro conceito científico". Em outras palavras, pode-se pensar em tempo normal, ou real, como uma linha horizontal. À esquerda, está o passado, enquanto, à direita, o futuro. Já ao pensar em outro tipo de tempo na direção vertical, esse seria o tal tempo imaginário, porque não é o tipo de tempo que experimentamos em nossa existência. "Em certo sentido, o tempo imaginário pode ser tão real quanto o que chamamos de tempo real", disse o físico.

Ainda que tudo isso possa parecer uma "viagem" e tanto, especialmente pelo fato de que a física como a conhecemos não suporta essa ideia, o que sabemos é que, quando se trata do Big Bang, ou de buracos negros, por exemplo, nossa compreensão da física é desafiada. E a única certeza que se tem sobre os blocos de construção quânticos do nosso universo, infinitesimalmente pequenos, é que eles são incertos, bastando observá-los para que seu comportamento mude por completo. Sim, segundo a teoria quântica, eles podem estar em dois lugares ao mesmo tempo, o que, de acordo com as leis da física, é algo impossível.

Sendo assim, a origem do Big Bang e tudo o que havia antes não parece caber perfeitamente no universo da física conhecida, mas a resposta pode estar no comportamento bizarro da física quântica – ou não.

Fonte: Live Science

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.