O espaço afeta homens e mulheres de jeitos diferentes? Descubra!

Por Patrícia Gnipper | 23 de Outubro de 2019 às 13h17
Sergei Savostyanov/Getty Images

Será que o ambiente espacial afeta o organismo de homens e mulheres de maneiras diferentes? A resposta é "sim", e quem fala a respeito é a Dra. Vasha Jain, que conversou sobre o tema com a rádio da BBC no Reino Unido. Jain foi uma das primeiras acadêmicas a pesquisar a saúde da mulher no espaço e é uma das autoridades neste tema.

Das mais de 530 pessoas que já visitaram o espaço em algum momento desde que Yuri Gagarin se tornou o primeiro humano a alcançar o ambiente espacial em 1961, apenas 65 foram mulheres. A primeira mulher a visitar o espaço foi a cosmonauta Valentina Tereshkova em 1963, com a NASA fazendo o mesmo somente em 1983, com Sally Ride. Já na última semana, a agência espacial dos EUA entrou para a história ao promover o primeiro spacewalk 100% feminino, e provavelmente a próxima pessoa a pisar na superfície da Lua também será uma mulher, com o programa Artemis, o que está previsto para acontecer em 2024.

Sendo assim, é preciso haver estudos não somente para descobrir como manter a saúde de astronautas em geral, especialmente nas futuras viagens espaciais de longa duração, como também diferenciar os potenciais males que o espaço representa aos organismos masculino e feminino.

(Imagem: iStock/Sergey Khakimullin)

A Dra. explica que, ainda que a adaptação geral ao ambiente espacial seja aproximadamente a mesma para homens e mulheres, existem sim algumas diferenças. "Mulheres são mais propensas a ficarem doentes no espaço, e homens são mais propensos a sofrer na reentrada ao voltar à Terra", ela afirma. Além disso, "homens têm mais problemas de visão e audição quando voltam", mas "quando as mulheres voltam, elas têm mais problemas para controlar a pressão arterial", de acordo com a especialista.

Ainda não se sabe se essas diferenças entre os gêneros têm a ver com questões hormonais ou com a própria fisiologia, mas estudos seguem em andamento. A própria NASA divulgou, anos atrás, um relatório sobre o tema, depois de analisar implicações cardiovasculares, imunológicas, sensório-motoras, musculoesqueléticas, e reprodutivas em voos espaciais feitos por homens e mulheres.

O que se sabe sobre problemas de saúde em homens e mulheres no espaço?

A imagem mostra efeitos que astronautas homens e mulheres podem sentir durante e depois de viagens espaciais (Imagem: NASA)

O estudo em questão pode ser encontrado aqui, mas, abaixo, você vê algumas das principais descobertas reveladas na época pela NASA sobre a saúde de homens e mulheres envolvendo viagens espaciais:

  • Intolerância ortostática: afeta mais mulheres do que homens. Trata-se de um aumento excessivo da frequência cardíaca quando a pessoa está em pé, com o sistema cardiovascular precisando de trabalho suplementar para manter a pressão arterial. Quando isso ocorre, a pessoa pode desmaiar.
  • Alterações oculares: afeta mais homens do que mulheres. É uma deficiência visual relacionada à pressão intracraniana.
  • Alterações no sistema imunológico: afeta homens e mulheres de maneira diferentes. No espaço, nada foi observado, mas, quando eles retornam à Terra, a coisa muda. Por aqui, mulheres têm uma resposta imune mais potente do que os homens, tornando-as mais resistentes a infecções virais e bacterianas. Contudo, essa resposta as torna mais suscetíveis a doenças autoimunes.
  • Infecções do trato urinário: afeta mais mulheres do que homens, exigindo tratamento com antibióticos.

Fonte: BBC, com informações de NASA

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.