NASA revela imagem de buraco negro e demonstra a distorção do espaço-tempo

Por Daniele Cavalcante | 27 de Setembro de 2019 às 15h05
NASA’s Goddard Space Flight Center/Jeremy Schnittman
Tudo sobre

NASA

Saiba tudo sobre NASA

Ver mais

Depois de responder 10 perguntas sobre buracos negros, a NASA apresentou um novo modelo que mostra como a gravidade de um buraco negro distorce nossa visão, deformando seus arredores como se estivéssemos vendo através de um daqueles espelhos ondulados de um parque de diversões.

A imagem simula principalmente a aparência e a distorção do local onde a matéria se acumula em uma estrutura fina e quente, chamada disco de acúmulo.

Imagem: NASA’s Goddard Space Flight Center/Jeremy Schnittman

Por causa da gravidade intensa do buraco negro, a luz emitida por diferentes regiões do disco é distorcida, e assim temos essa aparência deformada. As partes mais brilhantes são formadas e se dissipam à medida em que os campos magnéticos giram ao redor do buraco negro. À medida em que gás se aproxima, sua velocidade de órbita aumenta, causando a diferença entre as faixas de luz mais claras e escuras.

Visto de lado, o disco parece mais brilhante à esquerda do que à direita. Isso é porque o gás brilhante à esquerda do disco se move em nossa direção tão rápido que o brilho aumenta - algo observado pela Teoria da Relatividade de Einstein. O oposto acontece no lado direito, onde o brilho do gás que se afasta de nós se torna um pouco mais fraco. Essa assimetria desaparece quando vemos o disco exatamente de frente porque, dessa perspectiva, nenhum material está se movendo ao longo de nossa linha de visão.

Enquanto isso, mais próximo do buraco negro, a curvatura gravitacional aumenta tanto que podemos ver um anel de luz brilhante, aparentemente delineado o buraco negro em si. Esse “anel de fótons” é composto de vários anéis, com fótons que vêm da parte traseira do buraco negro. Entretanto, a gravidade é muito intensa e por isso a distorção do espaço-tempo causa um desvio no caminho da luz ao redor do elemento. Como o buraco negro modelado nesta visualização é esférico, o anel de fótons parece quase circular e idêntico em qualquer ângulo de visão. Dentro dele, está a sombra do buraco negro, uma área aproximadamente duas vezes maior que o horizonte de eventos - o ponto sem retorno.

Abaixo você pode conferir o diagrama com a descrição de cada componente.

Imagem: NASA’s Goddard Space Flight Center/Jeremy Schnittman

A imagem foi criada pelo astrofísico da NASA Jeremy Schnmittman. Ele afirma que "simulações e vídeos como esses realmente nos ajudam a visualizar o que Einstein quis dizer quando disse que a gravidade distorce o tecido do espaço e do tempo; até muito recentemente, essas visualizações eram limitadas à nossa imaginação e programas de computador. Eu nunca pensei que seria possível ver um buraco negro real", disse referindo-se à imagem do buraco negro supermassivo da galáxia M87, capturada em abril pelo EHT (Event Horizon Telescope).

Fonte: NASA

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.