Publicidade
Economize: canal oficial do CT Ofertas no WhatsApp Entrar

NASA divulga nova imagem da supernova Tycho — ou o que sobrou dela

Por| 22 de Outubro de 2019 às 09h34

Link copiado!

X-ray: NASA/CXC/RIKEN & GSFC/T. Sato et al; Optical: DSS
X-ray: NASA/CXC/RIKEN & GSFC/T. Sato et al; Optical: DSS
Tudo sobre NASA

A NASA divulgou a mais recente imagem da supernova Tycho — ou melhor, o que sobrou dela, já que a supernova em si foi a explosão de uma estrela observada em novembro de 1572. A imagem foi gerada com dados do Observatório de Raios-X Chandra, e revela um padrão estranho de aglomerados brilhantes e de áreas mais apagadas.

Desde o início de suas atividades, o Chandra registra imagens de remanescentes como esta, e a nova imagem divulgada pela NASA pode responder várias perguntas sobre esse tipo de objeto cósmico. Por exemplo, o que causa esses aglomerados de pontos brilhantes e outros mais apagados depois da explosão? Aliás, é a explosão que causa isso, ou esse fenômeno é resultado de algum processo depois de a estrela ter explodido? Isso ainda não sabemos, mas essa imagem de Tycho, catalogado como objeto SN 1572, fornece pistas aos pesquisadores para encontrar essas respostas.

Para deixar essas aglomerações mais evidentes na imagem, os cientistas selecionaram dois intervalos de energia para isolar o material que está se movendo para longe da Terra (sílica, colorida em vermelho), e o material que está se movendo na nossa direção (também sílica, colorida em azul). As outras cores na imagem, amarelo, verde, azul-esverdeado, laranja e roxo, mostram um intervalo de diferentes energias e de elementos e uma mistura das direções de seus movimentos.

Continua após a publicidade

Além disso, para gerar a imagem, os cientistas combinaram os dados de raios-X do Chandra com imagens ópticas das estrelas no mesmo campo de visão feitas pelo Digitized Sky Survey.

Essa foi uma das oito supernovas visíveis a olho nu já registradas na história da astronomia. Embora receba o nome do astrônomo dinamarquês Tycho Brahe, muitos outros puderam observar o novo objeto no céu brilhando na constelação de Cassiopeia. A supernova era do tipo Ia, ou seja, resultado da explosão de uma anã branca, estrela que completou o seu ciclo de vida normal e cessou sua fusão nuclear.

Fonte: NASA