Índia quer ser a primeira nação a pousar rover no polo sul da Lua ainda em 2019

Por Patrícia Gnipper | 06 de Maio de 2019 às 21h50
Astronomy.com/MENEZES FO

A agência espacial indiana ISRO (sigla para Indian Space Research Organisation) anunciou que pretende, ainda em 2019, fazer com que a Índia se torne o primeiro país a pousar um rover no polo sul da Lua. A missão em questão que visa este feito é a Chandrayaan-2.

Até então, todas as missões da ISRO na Lua estiveram lá em áreas próximas ao equador, e o polo sul lunar "é um lugar onde ninguém foi", conforme declarou K. Sivan, presidente da ISRO. Ele também observa que "já que ninguém chegou àquela área, alguma nova ciência pode estar lá".

O lançamento da Chandrayaan-2 deverá acontecer em meados de julho, com objetivo de pousar na Lua por volta do dia 6 de setembro. Mais detalhes sobre como a missão funcionará, bem como quais serão seus objetivos científicos, serão revelados em junho, de acordo com a agência espacial, mas Sivan já antecipou que um de seus objetivos é encontrar mais fontes que possam oferecer água na superfície lunar.

Os planos indianos de chegar ao polo sul da Lua em 2019 passam por cima dos objetivos da China, outro país que também tem planos para essa região lunar, e que chegou a declarar que se tornaria o primeiro a pousar por lá. Contudo, no momento a nação asiática está explorando, com a missão Chang'e 4, o lado afastado da Lua, e a Chang'e 5, que deverá ser lançada neste ano, chegará lá para coletar amostras que posteriomente serão trazidas para estudos na Terra, com a Chang'e 6. Sendo assim, a futura Chang'e 7, que certamente não será lançada neste ano, será a missão que pousará no polo sul da Lua — bem depois da chegada dos indianos por lá, caso eles realmente consigam sucesso com a Chandrayaan-2 neste ano.

Fonte: Moon Daily

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.