Galáxia de Andrômeda já devorou outras galáxias — e a Via Láctea está no menu

Por Patrícia Gnipper | 04 de Outubro de 2019 às 21h20

Não é novidade para a ciência que a galáxia de Andrômeda, uma de nossas vizinhas mais próximas, está em rota de colisão com a Via Láctea, com ambas se mesclando em um processo que acontecerá em aproximadamente quatro bilhões de anos. Andrômeda está a 2,5 milhões de anos luz daqui, e esta galáxia está se atraindo à nossa graças à força gravitacional que age entre as duas.

Andrômeda navega em direção à Via Láctea a uma velocidade de 402.366 quilômetros por hora, e o processo de unificação das duas galáxias deverá durar mais de dois bilhões de anos. O resultado final será uma nova supergaláxia em formato elíptico.

Mas a Via Láctea não será a primeira galáxia "engolida" por Andrômeda. De acordo com um novo estudo publicado na Nature, a "galáxia canibal" já devorou outras no passado, algo que, na verdade, pode estar acontecendo desde o nascimento de Andrômeda. Os pesquisadores usaram dados obtidos por meio de cinco telescópios diferentes para observar o halo difuso de estrelas que ficam na borda da órbita de Andrômeda, detectando pelo menos dois aglomerados de estrelas com trajetórias e velocidades distintas — indicativo de que essas estrelas teriam uma outra origem em comparação com as demais do restante da galáxia.

Então, a equipe determinou, com base nas idades estimadas desses aglomerados, que eles seriam remanescentes de duas galáxias-anãs muito antigas que teriam sido engolidas por Andrômeda há muito tempo — uma "refeição" teria acontecido há alguns bilhões de anos, e a outra há quase 10 bilhões de anos. "Andrômeda tem um halo estelar muito maior e mais complexo do que a Via Láctea, o que indica que ela canibalizou muito mais galáxias, possivelmente maiores", explicou o autor do estudo, Dougal Mackey, astrônomo da Universidade Nacional Australiana.

Foram estudados 92 aglomerados de estrelas ali, e cada um deles estava localizado no halo da galáxia, a mais de 81 mil anos-luz do centro de Andrômeda. A galáxia tem cerca de 110 mil anos-luz de raio, enquanto a Via Láctea tem entre 100 mil e 200 mil anos-luz de diâmetro. Desses 92 aglomerados, 77 tiveram suas velocidades e órbitas estimadas, e os pesquisadores encontraram ali grupos distintos: um mais antigo, girando perpendicularmente ao disco da galáxia, e outro mais novo orbitando em um ângulo de 90 graus em relação aos mais velhos.

De acordo com a interpretação dos cientistas, esses grupos seriam, então, remanescentes de dois eventos de fusão que aconteceram com bilhões de anos de diferença entre si. Sendo assim, agora sabemos que Andrômeda, que engolirá a Via Láctea daqui a muito tempo, é na verdade uma galáxia "faminta", e está pronta para seu próximo banquete.

Fonte: Live Science, EurekAlert!

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.