Em junho, Júpiter está tão próximo que dá para ver suas luas com binóculos

Por Patrícia Gnipper | 07 de Junho de 2019 às 12h54
Tudo sobre

NASA

Saiba tudo sobre NASA

Ver mais

Você já olhou para o céu noturno neste mês? Percebeu uma estrela extremamente brilhante se destacando entre as demais? Pois bem: esta estrela é, na verdade, o planeta Júpiter, que está em oposição ao planeta Terra e, na segunda-feira (10), alcançará o ponto mais próximo dessa aproximação — será possível até mesmo observar luas do gigante gasoso usando apenas um par de binóculos!

Essa aproximação é um fenômeno que acontece todos os anos quando a Terra, ao longo de sua órbita ao redor do Sol, acaba ficando exatamente num ponto entre Júpiter e o astro em uma linha reta, com o planeta gasoso estando razoavelmente perto de nós e, então, aparecendo muito maior e mais brilhante no céu. Vale lembrar que planetas podem ser confundidos com estrelas no céu pois eles refletem a luz do Sol, enquanto as estrelas produzem o próprio brilho.

Em seu site especialmente dedicado ao Sistema Solar, a NASA mensalmente publica uma lista com as observações que serão possíveis de se fazer no céu noturno em tal mês, e agora em junho a agência espacial destacou a oposição de Júpiter. "O maior planeta do Sistema Solar é uma joia brilhante a olho nu, mas parece ainda mais fantástico através de binóculos ou um pequeno telescópio, o que permitirá que você identifique as quatro de suas maiores luas, e talvez até vislumbre as nuvens que circundam o planeta", disse a agência.

Participe do nosso Grupo de Cupons e Descontos no Whatsapp e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.

Para observar Júpiter brilhando ainda mais no céu de junho, você pode contar com apps como o Star Chart (Android/iOS) para descobrir exatamente onde o planeta está no céu no instante de sua observação, com o planeta subindo logo ao anoitecer e permanecendo visível a noite toda. Se estiver usando binóculos, você conseguirá ver as chamadas Luas de Galileu: Europa, Ganimedes, Io e Calisto — elas recebem este apelido pois foram descobertas por Galileu Galilei. Ressaltamos que uma boa observação exige um céu limpo, e de preferência em áreas mais afastadas dos grandes centros urbanos para evitar a poluição luminosa.

As quatro luas de Galileu: Io, Europa, Ganimedes e Calisto (Foto: NASA)

Fonte: NASA

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.