Descoberto exoplaneta parecido com a Terra em meio a dados antigos do Kepler

Descoberto exoplaneta parecido com a Terra em meio a dados antigos do Kepler

Por Daniele Cavalcante | 15 de Abril de 2020 às 14h23
NASA/Ames Research Center/Daniel Rutter

Um planeta do tamanho da Terra estava passando despercebido pelas análises de dados do telescópio espacial Kepler, da NASA, aposentado em 2018. Ao revisar os dados, cientistas descobriram o exoplaneta (mundos que orbitam uma estrela que não o Sol) que antes havia sido classificado erroneamente por um algoritmo de computador como outro tipo de objeto espacial.

Além de ter tamanho aproximado do nosso planeta, o planeta Kepler-1649c está na região habitável de seu sistema estelar, ou seja, a área ao redor de uma estrela onde um planeta rochoso poderia abrigar água líquida. De todos os exoplanetas encontrados pelo Kepler, este é mais o semelhante à Terra em questão de tamanho e temperatura superficial estimada.

Localizado a uma distância de 300 anos-luz, este mundo recebe o equivalente a 75% da quantidade de luz que a Terra recebe de nosso Sol. Daí a estimativa de que a temperatura do Kepler-1649c também pode ser semelhante à do nosso planeta. Porém, ele orbita uma anã vermelha, um tipo de estrela cujas explosões podem tornar desafiador o ambiente de um planeta, quando se pensa em qualquer vida em potencial.

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

Ilustração de como seria a superfície do planeta Kepler-1649c (Imagem: NASA/Ames Research Center/Daniel Rutter)

O Kepler-1649c orbita sua pequena estrela anã vermelha tão rapidamente que um ano por lá é equivalente a apenas 19,5 dias terrestres. O sistema estelar possui outro planeta rochoso do mesmo tamanho, mas ele orbita a estrela a uma distância ainda mais curta, o que o torna menos propício a abrigar formas de vida. Ainda é preciso descobrir outros detalhes sobre o Kepler-1649c, como sua atmosfera, que também pode influenciar a temperatura em sua superfície.

Mesmo que este planeta seja descartado como potencial lar de vida alienígena, a descoberta mostra que os dados do Kepler ainda podem reservar muitas surpresas. Entre os mundos já descobertos nas zonas habitáveis de suas estrelas, há alguns que se parecem com a Terra em tamanho, e outros em temperatura, mas nenhum ainda é considerado mais próximo da Terra em ambos os aspectos.

Por isso, o Kepler-1649c é uma surpresa muito empolgante para os pesquisadores. A equipe procurou evidências de um terceiro exoplaneta no mesmo sistema, sem obter resultados. No entanto, pode ser que o suposto planeta seja muito pequeno para ser visto, ou está inclinado em uma órbita que torna impossível encontrá-lo usando o método de detecção do telescópio Kepler.

Comparação de tamanho entre o planeta recém-descoberto e a Terra (Imagem: NASA/Ames Research Center/Daniel Rutter)

Agora, os pesquisadores sabem que as anãs vermelhas - comuns em quase toda a parte da nossa galáxia - podem ter planetas rochosos potencialmente habitáveis ao seu redor. A chance de encontrar mais alguns deles ainda mais parecidos com Terra parecem se tornar cada vez mais reais, ainda mais considerando que o próprio Kepler pode ter alguns ainda escondidos em seus dados analisados erroneamente por algoritmos.

Fonte: NASA

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.