Dá pra imaginar? Há um buraco negro com 40 bilhões de vezes a massa do Sol

Por Daniele Cavalcante | 13 de Agosto de 2019 às 13h28

Existem buracos negros supermassivos que possuem massa inimaginável. Eles estão no centro de quase todas as galáxias, e a massa de alguns chegam a milhões, ou até bilhões de vezes a massa do Sol. No centro da Via Láctea, por exemplo, está o Sagittarius A*, que tem massa de aproximadamente quatro milhões de vezes a massa solar. Mas ele não é nada comparado ao titânico buraco negro supermassivo da galáxia Holmberg 15A - ele tem a massa absurda de 40 bilhões de vezes maior que a do Sol.

Essa galáxia elíptica está a cerca de 700 milhões de anos-luz de distância, e localiza-se no centro do aglomerado de galáxias Abell 85. O buraco negro que está em seu centro já foi estudado antes, mas os astrônomos estimaram anteriormente que sua massa era 310 bilhões de vezes a massa do Sol. Esse número, que já era inconcebível o suficiente para a mente humana, havia sido estimado com base em medidas indiretas. O novo estudo, publicado no The Astrophysical Journal, foi realizado com observação direta, o que o torna mais preciso.

Foram necessárias apenas duas noites de observações com o MUSE (Multi Unit Spectroscopic Explorer) do Very Large Telescope (VLT), no Observatório do Paranal, localizado no norte do Chile. Usando modelos e observações, a equipe de astrônomos que realizou o estudo observou a cinemática das estrelas orbitando o objeto colossal. De acordo com eles, esse é “o buraco negro mais massivo determinado dinamicamente até agora”.

Mas calma! Essa declaração não significa que se trata do buraco negro mais massivo já encontrado no Universo, e sim do maior já calculado por observação dinâmica, ou direta. Por enquanto, o Buraco Negro Ultra Massivo, localizado no centro do quazar TON 618, a mais de 10 bilhões de anos-luz de distância, é o detentor do título de maior colosso do Cosmos - ele é estupidamente 66 bilhões de vezes mais massivo que o sol. Porém, até o momento, ele foi medido indiretamente, o que significa que esse número pode mudar no futuro.

Mas como esse buraco negro ficou tão grande?

Imagem ilustrativa

Provavelmente a galáxia Holm 15A é o resultado da fusão de duas - ou talvez mais - galáxias elípticas que se fundiram. Seus núcleos teriam se esgotado, então não há muitas estrelas por lá. Esse tipo de fusão é provavelmente raro, de acordo com os autores do estudo. “Se a Holm 15A passou por uma evolução acelerada precoce no passado, então pode ser que não apenas um buraco negro binário esteja envolvido, mas possivelmente um cenário mais complicado com múltiplos buracos negros”, disseram os pesquisadores.

A equipe deverá continuar com este trabalho, e espera que análises detalhadas podem nos oferecer mais informações sobre a história da fusão de galáxias massivas e sobre os buracos negros em seus centros. Por ora, fica o questionamento: existe algum limite para o tamanho da massa desses extraordinários buracos negros?

Fonte: Universe Today

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.