Colisão com a Terra que formou a Lua pode ter trazido água para cá, diz estudo

Por Patrícia Gnipper | 24 de Maio de 2019 às 08h19

Há uma teoria de que um planeta-anão chamado Theia se chocou contra a Terra primordial, e o resultado desse choque cósmico de grandes proporções teria sido o responsável pela formação da Lua em nossa órbita. Agora, um novo estudo, com base nesta ideia, sugere que essa colisão, além de formar a Lua, teria trazido a maior parte da água ao nosso planeta há 4,4 bilhões de anos.

Há muito tempo cientistas debatem e tentam descobrir como foi que a água chegou à Terra. Entre as teorias, estão coisas como choques de cometas e asteroides com nosso planeta, uma vez que a Terra foi formada quando o Sistema Solar interior ainda era seco, com os materiais úmidos sendo trazidos para cá a partir do Sistema Solar externo — como acontece com meteoritos carbonosos ricos em água, que vêm das partes mais distantes do nosso quintal espacial.

É verdade que, em algum momento no início da história da Terra, esses materiais carbonosos entregaram a nós grandes quantidades de água, mas até então nenhum modelo foi capaz de embasar essa teoria em sua totalidade. Então, a equipe de pesquisadores da Universidade de Münster, na Alemanha, liderados por Gerrit Budde, decidiu investigar as hipóteses mais a fundo.

Participe do nosso Grupo de Cupons e Descontos no Whatsapp e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.
Concepção artística da formação da Lua após o choque da Terra primordial com o planeta-anão Theia (Imagem: American Museum of Natural History)

Eles escolheram usar isótopos de molibdênio em seu estudo, pois esses isótopos "nos permitem distinguir claramente o material carbonado do não-carbonado e, como tal, representa uma impressão genérica do material do Sistema Solar externo e interno", conforme explica Budde. Suas análises, então, mostraram que parte do molibdênio da Terra vem sim do Sistema Solar externo, e como o molibdênio é um elemento ligado ao ferro, a maior parte dele em nosso planeta está localizada no núcleo da Terra. Mas há alguma parte de molibdênio no manto terrestre, tendo "origem nos últimos estágios da formação do planeta, enquanto o molibdênio das fases anteriores está inteiramente no centro".

A nova pesquisa, que foi publicada na revista Nature, mostra que grandes quantidades de água chegaram à Terra depois que os blocos de construção do planeta se aglutinaram, e os autores entendem que grande parte desse material rico em água teria sido justamente entregue por Theia — planeta-anão do tamanho de Marte que, de acordo com a teoria, se chocou com a Terra primordial, vaporizando grande parte do planeta. Os detritos de tal choque teriam se unido na órbita com a ação da gravidade, formando, então, a Lua.

"Nossos dados demonstram que a Terra agregou corpos carbonosos no final de sua história de crescimento, provavelmente através do impacto da formação da Lua", afirmam os cientistas.

Fonte: Universidade de Munster

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.