Cientistas encontram poeira de antiga supernova em meio a neve da Antártida

Por Daniele Cavalcante | 15 de Agosto de 2019 às 07h30

No polo Sul, em meio à neve e gelo da Antártida, cientistas encontraram uma poeira que contém um isótopo (versões de átomos de um elemento que apresenta números de nêutrons diferentes) de ferro muito peculiar: o ferro-60. Acontece que esse isótopo é muito raro na Terra, mas costuma ser liberado com frequência em supernovas. Ou seja, é bem provável que se trata de uma poeira cósmica que nasceu em uma supernova distante.

Após sua jornada, que se iniciou há milhões de anos, a poeira finalmente trouxe o isótopo ferro-60 (que tem 4 nêutrons a mais do que o ferro comum) para a Terra. Para encontrá-la, os cientistas analisaram mais de 500 kg de neve que eles coletaram da superfície de uma região de alta altitude da Antártica, perto da Estação Kohnen, da Alemanha. Ali, a neve estaria praticamente isenta de contaminação por poeira terrestre, de acordo com o que disseram os pesquisadores em um novo estudo, publicado na Physical Review Letters.

Eles transportaram toda essa neve para o laboratório na Alemanha, usando um contêiner especialmente cuidado para que tudo chegasse ainda congelado. No laboratório, o gelo foi derretido, filtrado e evaporado, e o ferro-60 foi identificado.

A estação de pesquisa Kohnen, na Antártida. Foto: DiedrichF / German Wikipedia

Claro, há outras fontes de ferro-60 por aí. Por exemplo, colisões entre partículas de alta energia, tais como raios cósmicos colidindo com poeira do Sistema Solar, ou até mesmo testes nucleares. Mas os pesquisadores acabaram por descartar essas possibilidades. Acontece que o manganês-53, isótopo que costuma aparecer em poeira irradiada pelos planetas e outros corpos que também contêm ferro-60, não estava presente. Além disso, testes de bombas nucleares teriam produzido uma quantidade do isótopo muito menor do que a encontrada na neve da Antártida.

“Isso nos dá uma indicação clara de que esse material vem de fora do Sistema Solar”, disse Korschinek em comunicado. Anteriormente, o ferro-60 foi encontrado na Terra apenas em antigos depósitos no mar profundo ou em rochas que vieram do espaço. "Concluímos que encontramos, pela primeira vez, ferro-60 de origem interestelar na Antártida", escreveram os pesquisadores.

Fonte: Scientific American

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.