China prevê mais 10 lançamentos para construir sua futura estação espacial

China prevê mais 10 lançamentos para construir sua futura estação espacial

Por Wyllian Torres | Editado por Patrícia Gnipper | 03 de Maio de 2021 às 15h20
CMS

Em 28 de abril deste ano, a China enviou o principal módulo da Estação Espacial Chinesa (CSS), chamado Tianhe (que, em chinês, significa “harmonia dos céus”). Agora, a agência espacial do país começa a revelar maiores detalhes sobre a construção da sua futura base espacial, a qual pretende finalizar em 2022, mas, para isso, a China pretende realizar mais 10 lançamentos — alguns deles, tripulados. A CSS será um posto avançado de pesquisas e experimentos científicos e tecnológicos, aberto à cooperação de outros países.

Com o sucesso do lançamento do módulo Tianhe, a China dá início a um cronograma apertado. Para finalizar a construção da estação espacial até o fim do próximo ano, o país pretende realizar mais 10 lançamentos; entre eles: dois lançamentos de módulo, quatro missões tripuladas e quatro voos de navios de carga. Ao final da construção, a CSS terá um formato de “T”, onde o módulo Tianhe estará no centro com os módulos Wentian e Mengtian — um em cada lado —, segundo o chefe do projeto no programa espacial da China, Zhou Jianping.

Representação artística dos módulos que irão compor a CSS (Imagem: Reprodução/Wikimedia Commons/Saggittarius A)

A princípio, a estação terá espaço para apenas seis tripulantes, segundo Bai Linhou, da Academia Chinesa de Tecnologia Espacial (CAST), envolvida no projeto. A China espera, com lançamentos regulares de tripulação e de cargas, garantir uma presença humana por longos períodos na órbita da Terra. O diretor do Escritório de Engenharia Espacial da China, Hao Chun, disse que: “Em seguida, lançaremos a espaçonave de carga Tianzhou 2 em maio e a espaçonave Shenzhou 12, em junho. Três astronautas ficarão em órbita por três meses, com a nave espacial tripulada Shenzhou 12".

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

Quando finalizada, a CSS oferecerá toda estrutura adequada para a estadia dos tripulantes. Através da “casa inteligente”, a estação permitirá que seus astronautas controlem remotamente os eletrodomésticos da cabine através de um tablet. Além disso, um sistema de ventilação garantirá o conforto dos tripulantes, que trabalharão de acordo com o fuso horário de Pequim, enquanto a estação completa uma volta em torno da Terra a cada 90 minutos. Para não interromper o relógio biológico de cada um, a estação terá um sistema de iluminação que simulará um ambiente no crepúsculo e também o modo noturno.

Modelo virtual do módulo Tianhe, o principal da estação (Imagem: Captura de Tela/CMS/3D Chinese Space Station)

A Estação Espacial Chinesa está planejada para trabalhar na órbita baixa da Terra, ou seja, a uma altitude entre 340 a 450 quilômetros. Inicialmente, seu tempo de vida é projetado para 10 anos, mas pode se estender para além dos 15. A China tem intenção de transformar a CSS em um laboratório espacial que oferece condições de estadias prolongadas, para desenvolvimento de experimentos científicos e tecnológicos. E, desde já, revela-se aberta à colaboração internacional.

Fonte: Space Daily, Space.com

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.