Campanha quer que países nomeiem exoplanetas — e o Brasil está participando

Por Patrícia Gnipper | 10 de Junho de 2019 às 17h42
IAU

A União Astronômica Internacional (IAU) está lançando uma nova campanha chamada NameExoWorlds (ou NomeieExoMundos, em português) para que diversos países ao redor do globo elejam o nome oficial de algum exoplaneta que ainda não foi devidamente nomeado. São quase 100 nações inscritas — e o Brasil faz parte da jogada.

Cerca de 4 mil exoplanetas foram detectados nas últimas três décadas, e praticamente todos eles ainda são chamados pelas designações científicas e técnicas, como KMT-2017-BLG-1146Lb, OGLE-2013-BLG-0132Lb e 2MASS J19383260 + 4603591 b, por exemplo. E como a IAU é justamente o órgão regulador de questões astronômicas, eles decidiram abrir a escolha de nomes oficiais de exoplanetas para o grande público e entusiastas da astronomia.

Cada país participante tem uma estrela com um exoplaneta já definidos. Essa escolha foi feita usando o seguinte critério: a estrela em questão precisa ser visível do céu noturno de cada país, permitindo que os participantes possam observá-la com telescópios para se inspirarem ainda mais na hora de sugerir seu novo nome.

As campanhas nacionais acontecem entre o mês de junho e novembro de 2019, com os resultados então sendo verificados pelo comitê do NameExoWorlds. O anúncio oficial com todos os nomes escolhidos será feito em dezembro.

Brasil escolherá nome do planeta ao redor da estrela HD 23079

Para nós, brasileiros, a campanha ofereceu o planeta HD 23079b, que fica na órbita da estrela HD 23079, para que a gente defina seu novo nome oficial. Qualquer brasileiro pode participar do concurso sugerido nomes de acordo com os critérios divulgados na campanha — e todos os nomes pré-aprovados serão submetidos a votação popular. As regras definem que os pares de nomes devem estar ligados à cultura indígena no território nacional, ou ainda à cultura afrobrasileira ou à literatura brasileira.

A estrela fica a 109 anos-luz de distância, na constelação do Retículo, e não é visível a olho nu. Contudo, basta um par de binóculos ou um telescópio pequeno para observá-la facilmente. Esta é uma estrela similar ao nosso Sol, sendo um pouco maior e tendo mais ou menos a mesma idade. Já seu planeta, por outro lado, é um gigante gasoso com massa maior do que o dobro da massa de Júpiter, completando uma órbita a cada 2 anos terrestres ao redor do astro. Ele foi descoberto em 2001.

Para participar, basta acessar o site do NomeieExoMundos, criado especialmente para a participação brasileira na campanha NameExoWorlds. Ali estão todas as regras e o formulário para o envio de suas sugestões.

Fonte: IAU

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.