Buraco negro com 34 bilhões de massas solares é o que mais cresce no universo

Por Daniele Cavalcante | 07 de Julho de 2020 às 13h15
NASA

Quão grande um buraco negro supermassivo pode ser? Uma equipe de astrônomos da Universidade Nacional da Austrália liderou novas pesquisas em busca de um “campeão” dos quasares e, finalmente, encontraram um concorrente difícil de se derrotar. Trata-se do J2157 - com cerca de 34 bilhões de vezes a massa do Sol, é o buraco negro que mais cresce e o maior quasar observado até o momento.

Há cerca de meio século, astrônomos têm investigado os quasares, uma fonte de energia até então misteriosa no centro das galáxias ativas. Após algumas controvérsias teóricas, a definição de que quasares se originam em buracos negros supermassivos nos centros galácticos se tornou um consenso. Os quasares são os maiores emissores de energia do Universo, sendo que um único deles emite entre 100 e 1000 vezes mais luz que uma galáxia inteira.

O novo estudo, publicado recentemente no The Monthly Notices of the Royal Astronomical Society e liderado pelo Dr. Christopher A. Onken, revela novos dados sobre o quasar, descoberto inicialmente pela mesma equipe em 2018. Na época, o J2157 já era o quasar mais brilhante já observado até o momento, e puderam descartar a possibilidade de que sua luminosidade fosse o resultado de lentes gravitacionais - um fenômeno que amplia ou multiplica fontes luminosas no espaço ao serem observadas por um telescópio.

Ilustração do Quasar ULAS J1342+0928, um dos objetos mais distantes já observados no universo (Imagem: Robin Dienel/Carnegie Institution For Science)

Pois bem, neste estudo mais recente, o Dr. Onken e sua equipe voltaram a falar sobre este objeto, dessa vez usando dados do Very Large Telescope (VLT) do ESO, no Chile, para restringir a distância e a massa do buraco negro no núcleo do J2157. E o que eles descobriram foi bastante surpreendente. “A massa do buraco negro também é cerca de 8.000 vezes maior que o buraco negro no centro da Via Láctea”, disse Onken.

O buraco negro supermassivo no centro da Via Láctea é o Sagitário A*, e sua massa é mais de quatro milhões de vezes a massa do Sol. Isso parece bastante impressionante (e, de fato, é), mas se ele quiser se equiparar à massa do J2157, terá que engolir dois terços de todas as estrelas da nossa galáxia.

A idade do J2157 também chama a atenção. Quando os cientistas olham para este quasar, estão vendo o objeto quando o universo tinha apenas 1,2 bilhão de anos. Sabemos disso porque o quasar está localizado a 12 bilhões de anos-luz de distância. O fato deste ser o buraco negro supermassivo de crescimento mais rápido no Universo, nascido apenas 1,2 bilhão de anos após o Big Bang, foi surpreendente para os pesquisadores.

Agora, a equipe quer encontrar novas respostas sobre a galáxia na qual ele nasceu. “Com um buraco negro tão enorme, estamos animados para ver o que podemos aprender sobre a galáxia onde ele está crescendo”, disse o Dr. Fuyan Bian. “Essa galáxia é um dos gigantes do universo primitivo, ou o buraco negro engoliu uma quantidade extraordinária de seu entorno? Teremos que continuar investigando para descobrir isso”.

Fonte: Universe Today

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.