Astrônomos redefinem a idade de Matusalém, a estrela mais velha do universo

Por Redação | 19 de Setembro de 2017 às 14h36

Uma estrela localizada a aproximadamente 190 anos-luz da Terra vem intrigando a comunidade científica há alguns anos, mas um novo estudo pode, enfim, ter determinado a idade real do astro. Isso porque a estrela HD 140283, ou Matusalém, como foi apelidada, teria 14,5 bilhões de anos de acordo com os cálculos tradicionais, mas estima-se que o Big Bang aconteceu há 13,8 bilhões de anos.

Sendo assim, a estrela seria mais velha do que o universo. Como isso seria possível, se tudo o que existe surgiu após a grande explosão? Para determinar a idade de uma estrela, os astrônomos consideram suas propriedades físicas, como temperatura e luminosidade, além de quanto metal e massa ela possui. Já para determinar a idade do universo, uma maneira para fazer esse cálculo é medir a temperatura e a pressão da radiação de fundo de microondas cósmicas, sendo que essa radiação é a luz mais distante que somos capazes de detectar.

Outra maneira é estudar a formação de estrelas, bem como a formação de aglomerados estelares e a criação de galáxias, e a maioria dos cientistas acredita que os cálculos quanto à idade do nosso universo são sólidos, com uma margem de erro de 100 milhões de anos. Portanto, como a idade do universo está correta, é mais provável que os cálculos para se determinar a idade de uma estrela não tenham servido muito bem ao caso da Matusalém.

Então, uma equipe liderada por Howard Bond, professor do departamento de astronomia e astrofísica da Universidade da Pensilvânia, nos Estados Unidos, decidiu reavaliar a estrela e definir com mais exatidão qual a sua idade. Ao analisar seu brilho, distância, estrutura e composição, os cientistas confirmaram que ela está se tornando uma gigante vermelha, já que está esgotando o seu núcleo de hidrogênio, e deve continuar se expandindo por mais um tempo, até que se torne uma anã branca ou, então, resulte na explosão de uma supernova.

As novas observações foram feitas usando o telescópio espacial Hubble. A equipe de Bond usou o princípio da paralaxe para obter uma medida mais precisa da distância da HD 140283, e descobriram que a estrela se move a uma velocidade de 1,3 milhão de km/h. Combinando sua distância e velocidade de órbita, os pesquisadores conseguiram reavaliar seu brilho e idade. Acredita-se, agora, que a Matusalém pode ser 800 milhões de anos mais nova do que o universo, tendo provavelmente 13,7 bilhões de anos.

O estudo foi publicado na revista Solar and Stellar Astrophysics e, a partir de agora, a equipe pretende realizar novas observações e análises, na esperança de determinar uma idade ainda mais acertada para a estrela anciã.

Fonte: Big Think

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.