Agência espacial russa diz que vai "investigar" se Homem realmente pousou na Lua

Agência espacial russa diz que vai "investigar" se Homem realmente pousou na Lua

Por Felipe Demartini | 27 de Novembro de 2018 às 10h53

Uma velha teoria da conspiração ganhou grande fôlego na última semana quando Dmitry Rodozin, diretor da Roscosmos, agência espacial russa, afirmou que o país está preparando uma missão à Lua para verificar se os americanos realmente chegaram até o satélite. Seria uma confirmação da farsa na qual muitos acreditam, não fosse o fato de se tratar de mais uma grande zoeira do político, conhecido por suas afirmações irônicas ou simplesmente esquisitas.

A afirmação veio em conversa com o presidente da Moldávia, Igor Dodon, e publicada no Twitter do próprio Rodozin. O líder do país aliado perguntou a ele se realmente acreditava na teoria da conspiração, recebendo a resposta jocosa, que, ainda assim, motivou publicações na imprensa internacional e acendeu a chama entre os conspiracionistas de que há algo de errado em relação à missão Apollo XI.

Não ajuda muito o fato de mais de metade dos russos não acreditarem que os Estados Unidos pisaram na Lua, de acordo com uma pesquisa oficial do Centro de Pesquisas e Opinião Pública do país. E antes que haja algum engano, pois mais que o país não tenha se retratado quanto às afirmações de Rodozin, a missão citada por ele não existe de verdade, uma vez que a Rússia abandonou seu programa lunar em 1976, ainda na época da União Soviética.

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

Por mais que a declaração de Rodozin tenha sido uma piada, como tantas outras já feitas antes, não seria a primeira vez que o governo russo levanta dúvidas sobre o pouso americano na Lua. Em 2015, por exemplo, um porta-voz de um comitê investigativo do país pediu a abertura de um inquérito sobre a perda das imagens originais pela NASA, além de acesso a amostras de solo e rochas trazidas em missões ao longo dos anos 1970.

Entretanto, há quem diga que o pedido de investigação foi uma retaliação à investigação aberta pelo governo americano, naquele mesmo ano, sobre a corrupção na FIFA que, à época, se preparava para a Copa do Mundo da Rússia, que aconteceu neste ano. O próprio Markin já havia criticado os promotores do país afirmando que eles se achavam os “juízes supremos do futebol internacional”.

A informação da NASA é que as imagens oficiais do pouso, ocorrido em 1969, foram apagadas junto com outras 200 mil fitas, em um processo de reutilização voltado para economizar recursos financeiros. As imagens foram recuperadas a partir das transmissões oficiais realizadas pela televisão, com a ajuda de uma empresa de efeitos digitais especializada em remasterização de filmes antigos, outro aspecto que, por si só, também levantou suspeitas e conspirações.

Fonte: Science Alert

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.