Relembre 10 programas que fizeram sucesso nos anos 1990 e 2000

Por Douglas Ciriaco

Quem teve a chance de usar a internet entre os anos 1990 e metade dos anos 2000 deve se lembrar com nostalgia daquela época. Apesar de sites precários, conteúdos oferecidos em vias de mão única (a dita Web 2.0 ainda estava um pouco distante) e conexões lentas com a internet eram a realidade de basicamente todos nós.

Contudo, este mesmo período ajudou a formar o caráter de muitos internautas (o uso deste termo é uma homenagem a esta época gloriosa) e nos presentou com alguns aplicativos que entraram para a história. Programas para navegar na web, conversar com amigos ou baixar e ouvir músicas estavam em basicamente todas as máquinas conectadas à internet.

Muitos destes aplicativos foram para o limbo do ciberespaço, mas jamais sairão de nossas lembranças e de nossos corações. Então, vamos lembrar juntos de alguns dos principais softwares que marcaram época nos anos 1990 e 2000.

1. Netscape

Clássicos dos anos 90 e 2000

Netscape é o avô do Firefox e popularizou a navegação em abas. (Foto: Reprodução/Wikimedia Commons)

Pai dos navegadores modernos, o Netscape foi lançado em 1994 e era o principal programa do gênero até a ofensiva da Microsoft com o Internet Explorer, lançado no ano seguinte e que passou a ser incluído como aplicativo padrão para navegação na internet nas versões posteriores do Windows.

A contribuição do Netscape para a evolução dos navegadores se amplia especialmente a partir de 1998, quando a companhia deu início ao projeto de código aberto Mozilla (podemos considerar o Firefox como um neto do Netscape). Apesar de não ser pioneiro na navegação em abas, o navegador foi responsável por ajudar a popularizar este recurso durante os anos 2000.

2. mIRC

Clássicos dos anos 90 e 2000

mIRC era o ponto de encontro de quem queria papear na internet durante os anos 90 . (Foto: Wikimedia Commons)

O mIRC, lançado em 1995, é o principal cliente de Windows com suporte para o protocolo de comunicação IRC. Reunindo centenas de chats, o programa oferecia um espaço fértil para que gente de diversas partes do mundo pudessem encontrar outras pessoas com interesses em comum.

As conversas se desenrolavam em salas abertas e todo mundo podia ver a conversa entre os participantes. Quem queria mais privacidade poderia iniciar uma conversa privada. Apesar de bem menos comum do que em seus tempos áureos, o mIRC continua ativo até hoje.

3. ICQ

Clássicos dos anos 90 e 2000

ICQ como visto antigamente. (Foto: Reprodução/Wanna Be Big)

Falar em comunicação rápida via internet entre os anos 90 e 2000 significa falar de ICQ. O programa lançado em 1996 marcou época como um dos principais mensageiros instantâneos de todos os tempos, com recursos especiais durante as conversas e uma vasta base de usuários que poderiam se encontrar por meio de um sistema de busca.

Em vez de e-mails e nomes de usuários, quem utilizava o ICQ contava com uma sequência numérica como a sua chave de identificação dentro da rede. Ele reinou soberano durante algum tempo, mas acabou perdendo muito espaço para programas mais simples e com recursos modernos, como o MSN Messenger. É outro que, apesar de pouco popular, ainda está na ativa.

4. Winamp

Clássicos dos anos 90 e 2000

Winamp soberano em nossos corações. (Foto: Reprodução/Winamp)

Ouvir música no computador é algo que se faz desde há muito tempo. E se hoje nós temos Spotify, Deezer e outros serviços de streaming, durante os anos 90 e 2000 as principais opções para quem queria curtir um som era fazer download ou comprar um CD e escutar música por meio do Winamp.

Lançado em 1997, o aplicativo foi por anos a principal alternativa a aplicativos como o Windows Media Player e o iTunes. Ele se tornou rapidamente popular e arregimentou milhões de fãs pelo mundo, mas foi encerrado em 2013. Adquirido pela Radionomy, ele continua disponível para download, apesar de não receber atualizações há mais de dois anos.

5. Napster

Clássicos dos anos 90 e 2000

Napster incomodou a indústria e fez a alegria de muita gente. (Foto: Reprodução/Evolt)

Talvez o programa mais revolucionário no que diz respeito a forma como consumimos música na era digital, o Napster surgiu em 1999 e causou um impacto gigante na indústria. Primeiro compartilhador P2P da história, ele permitia que seus usuários compartilhassem arquivos de música entre si de maneira descomplicada pela internet.

Após sofrer inúmeros processos por parte de bandas e gravadoras, o Napster foi encerrado, mas a semente já estava plantada. Depois dele, dezenas de outros programas surgiram para realizar tarefas semelhantes, esquentando a cabeça dos burocratas da indústria fonográfica e facilitando a vida de quem queria ouvir música.

6. MSN Messenger

Clássicos dos anos 90 e 2000

MSN Messenger: um clássico. (Foto: Reprodução/Reddit)

Grande responsável por tornar o ICQ uma peça no museu digital da internet, o MSN Messenger (depois chamado de Windows Live Messenger) chegou em 1999 com muito mais recursos do que o seu rival da época. Aos poucos, ele ganhou novos recursos e foi o ponto central de basicamente todo mundo que sentava à frente do PC para se divertir.

Mensagens de status, clipes de voz, emoticons (nativos e personalizados), botão para chamar a atenção, conversas em grupos e videoconferências eram alguns dos recursos que marcaram época no MSN Messenger. Com a popularização das redes sociais e serviços de e-mail com serviços próprios de bate-papo, o MSN foi perdendo usuários até ser definitivamente encerrado e substituído pelo Skype.

7. Soulseek

Clássicos dos anos 90 e 2000

Soulseek era diferente dos demais nomes do gênero, mas ganhava em eficácia. (Foto: Reprodução/PC World)

O Soulseek não era a mais popular das ferramentas para baixar música via internet, mas, sem dúvida, foi uma das que mais marcou época. Diferente de outros nomes do gênero, este programa lançado em 1999 permitia que você fizesse downloads de forma mais organizada e de apenas um único usuário.

Enquanto outros softwares estilo P2P permitiam que você baixasse um mesmo arquivo simultaneamente de várias pessoas que o disponibilizassem, o Soulseek ligava você a uma única pessoa. Era possível vasculhar tudo o que outros usuários compartilhavam e ele ainda contava com salas de conversa estilo IRC.

8. LimeWire

Clássicos dos anos 90 e 2000

LimeWire, um dos primeiros herdeiros do Napster. (Foto: Reprodução/Wikimedia Commons)

Um dos primeiros herdeiros do Napster, o LimeWire foi um dos grandes nomes do compartilhamento de arquivos durante os anos 2000. Lançado exatamente no último ano do século passado, o programa se espalhou rapidamente pelo mundo e ganhou milhões de usuários.

Com uma rede vasta, ele se tornava uma opção altamente viável para quem queria baixar músicas, filmes e até mesmo fotos e textos. Obviamente que sua vida não foi fácil, mas ele ainda resistiu por uma década às investidas da indústria para tentar encerrá-lo. Foi oficialmente fechado em 2010 e também deixou sementes que resultaram em outros aplicativos, como o FrostWire (atualmente chamado de FrostClick).

9. Kazaa

Clássicos dos anos 90 e 2000

KaZaA foi o grande nome do P2P durante os anos 2000. (Foto: Reprodução/Warosu.org)

Muita gente que começou a usar a internet de forma mais efetiva a partir dos anos 2000 não teve a chance de utilizar o Napster. Então, nesse sentido, o herói desta geração chama-se Kazaa, lançado em 2001 exatamente no vácuo deixado pelo encerramento do Napster no mesmo ano.

O programa oferecia acesso direto e rápido a arquivos de áudio, vídeo, imagens e texto compartilhado pelos demais usuários. Seu sucesso vinha exatamente do grande número de participantes em sua rede, criando um ambiente fértil para quem queria baixar e compartilhar coisas. Teve diversas variações e foi ressuscitado algumas vezes, mas já saiu da ativa há alguns anos (última versão lançada foi em 2006).

10. eMule

Clássicos dos anos 90 e 2000

O programa da mulinha também fez um sucesso gigante durante a década passada. (Foto: Reprodução/Wikimedia Commons)

O último clássico da lista também é um programa para baixar arquivos. O eMule foi lançado em 2002 e utiliza a rede eDonkey para conectar seus usuários a fim de permitir a troca de arquivos entre todos. Normalmente indicado como uma opção mais avançada do que os demais nomes do P2P, ele contava com um maior número de usuários e apresentava mais recursos do que os concorrentes.

Além de satisfazer as necessidades básicas de todo mundo que estava atrás de arquivos raros ou populares, o eMule trazia um cliente IRC embutido, oferecia dados estatísticos sobre as transferências (download e upload) e podia reproduzir arquivos de áudio e vídeo incompletos. Apesar da baixa popularidade, ele ainda está na ativa até hoje.

E aí, você ainda utiliza alguns destes programas que continuam funcionando? Já parou, mas sente saudade de algum deles? Conte-nos tudo aqui embaixo, na seção de comentários.