Qual a diferença entre Internet e World Wide Web?

Por Douglas Ciriaco
photo_camera Reprodução/Ministerio TIC Colombia

Você navega na internet ou na web? Essa pergunta pode parecer simples e, de fato, responder com um “tanto faz” pode ser bastante apropriado. Isso porque os dois termos foram se tornando sinônimos ao longo das últimas décadas, então provavelmente ninguém vai se confundir se você usa um ou outro.

Contudo, analisando de forma fria, internet e web passam longe de ser sinônimos, mas, mesmo que você saiba disso, talvez não saiba exatamente o que cada um significa e qual a diferença entre ambos. Se você se encaixa nesse perfil, então este texto aqui será bastante esclarecedor. Fique de olho.

Internet

Falando de forma simples e direta, internet é o nome que se dá à rede que conecta os computadores ao redor do mundo. Ela é a estrutura pela qual são transferidos milhões de terabytes de dados todos os dias entre servidores e computadores pessoais, smartphones, tablets, consoles, televisores e vários outros dispositivos interconectados.

Internet

Internet é a rede que conecta dispositivos ao redor de todo o mundo. (Foto: James Cridland/Flickr)

As raízes da internet datam da década de 1960, com vários projetos desenvolvidos em países como Reino Unido e Estados Unidos. Dentre estes projetos estava a ARPANET, responsável por desenvolver protocolos que permitiriam a integração de inúmeras redes em uma só, podendo, assim, ser considerado o primórdio disso que hoje conhecemos como internet.

Em suma, a internet é uma rede de computadores, um caminho pelo qual as máquinas se interligam a fim de compartilhar dados entre só, assim como LAN (rede local) ou intranet (redes internas de empresas e organizações).

World Wide Web

A World Wide Web, também conhecida pela siga WWW ou apenas pelo termo Web, pode ser traduzida como teia mundial. Falando também de forma simples e direta, a web nada mais é do que o caminho que permite a você usufruir do conteúdo transferido pela internet.

Para isso, você precisa de um navegador, que é onde você vê imagens, textos e vídeos, onde envia e recebe coisas e também onde se conecta a outras pessoas. Em suma, a web é o nome dado aos sistemas de conteúdo disponíveis na internet, a parte palpável desta experiência. E é ao ato de clicar em links, visitar sites e interagir com o conteúdo oferecido na web que se chama navegar.

As raízes da web vêm dos anos de 1980, quando Tim Berners-Lee, membro da Organização Europeia para a Investigação Nuclear (CERN), localizada na Suíça, construiu o ENQUIRE, um sistema desenvolvido para armazenar e reconhecer associações de informações. Ele contava com um banco de dados e vários links que conectavam os conteúdos entre si, algo como um sistema estilo Wikipédia.

Web

Web é o conjunto de conteúdos que chegam até o seu navegador via Internet. (Foto: Reprodução/VisualHunt.com)

Em 1989, Tim desenvolve uma espécie de sistema de conteúdo a partir do ENQUIRE ao qual chama de World Wide Web — uma proposta mais formal para o termo seria descrita por ele em parceria com Robert Cailliau no final do ano seguinte, quando ele lança também o primeiro navegador de internet do mundo, o WorldWideWeb.

A partir de então, com o avanço das tecnologias de internet, a web também pôde se desenvolver grandiosamente, aumentando significativamente a quantidade de conteúdo disponível e também a interação entre usuários e páginas. A chamada Web 2.0, desenvolvida a partir do início dos anos 2000, é a fase na qual o conteúdo da web é oferecido também pelos seus usuários em blogs, vlogs, fotologs e redes sociais.

Atualmente, podemos dizer que vivemos na Web 3.0 (também conhecida como web semântica), que é a fase em que os sistemas de busca estão cada vez mais inteligentes e o conteúdo disponível na teia mundial se torna cada vez mais personalizado.