Homenagem: 7 das melhores pornochanchadas do cinema para você assistir

Por Sihan Felix | 06 de Setembro de 2020 às 18h27
Embrafilme

No dia 6 de setembro é comemorado o Dia do Sexo. A escolha da data é uma brincadeira numérica, mas vamos falar de algo mais sério: pornochanchadas. Então, para comemorar o dia 6/9, o Canaltech listou sete bons filmes desse gênero. Vale uma introdução:

Em uma época na qual o Brasil ansiava por liberdade, um movimento – uma expressão, na verdade – surgiu em nosso país nesse gênero. Sendo um produto tipicamente brasileiro, a pornochanchada é uma derivação da chanchada, gênero no qual predomina um humor ingênuo e de caráter popular.

Enquanto as chanchadas foram populares entre as décadas de 1930 e 1960 e revelaram nomes como Emilinha Borba, Oscarito e Grande Otelo, as pornochanchadas vieram na sequência, sendo predominantes nas décadas de 1960 e 1970 e trazendo nomes como Vera Fischer, Otávio Augusto e até mesmo a cultuada Sônia Braga. Com os roteiros enfatizando situações eróticas, malícia, ironias com o dia a dia e com diretores dando uma certa “prioridade anatômica”, essa expressão do nosso cinema tinha a faca e o queijo na mão – e outras coisas mais.

Mas vamos à lista das sete melhores pornochancadas para você assistir neste dia 6/9:

7. O Bom Marido

Um casal precisa fechar negócios estrangeiros para conseguir dinheiro. Para isso, o método mais certeiro que encontram é... claro: sexo. Acontece que O Bom Marido é uma comédia com tom investigativo e de fuga que pode ser bem divertida caso seja possível relevar alguns pontos.

6. Como é Boa Nossa Empregada

Com Pedro Paulo Rangel (de O Coronel e o Lobisomem), trata-se de um filme repartido em três episódios que faz uma crítica sarcástica à alta sociedade carioca dos anos 1970. Nesses capítulos, são expostas relações de carinho e, digamos, “calor” entre empregadores e domésticas. Em resumo, o primeiro episódio traz a história de um adolescente sem experiência sexual que paquera a copeira de sua casa; o segundo trata de um jovem estudante, também inexperiente, que é obcecado por empregadas domésticas e paquera todas que conhece, preocupando a mãe que contrata um psicólogo; já o terceiro é um pouco mais complexo: Um corretor de ações e marido com discurso moralista acaba marcando um encontro clandestino, mas a esposa aparece. Pedindo ajuda, o homem não esperava que seu amigo acabaria se confundindo com sua esposa...

5. Das Tripas Coração

Protagonizado por um quarteto poderoso (Antônio Fagundes, Dina Sfat, Ney Latorraca e Christiane Torloni), Das Tripas Coração ainda conta com Othon Bastos. Na história, o governo é forçado a interferir em uma escola religiosa após problemas administrativos acontecerem. Esperando na sala de conferências para comunicar sobre essa interferência aos responsáveis pela escola, o interventor adormece e acaba tendo sonhos bem... diferentes.

4. Nos Tempos da Vaselina

Obviamente pegando embalo em Grease: Nos Tempos da Brilhantina, musical lançado um ano antes, Nos Tempos da Vaselina também traz uma história envolvendo dança, discoteca e tudo o que esse mundo carrega. Mas trata-se de uma comédia que parece denunciar o preconceito que sofrem pessoas do interior quando chegam à capital. Mas Onofre, o protagonista, sabe dar a volta “por cima”.

3. Rio Babilônia

Um dos filmes narrativamente mais complexos da pornochanchada, Rio Babilônia acompanha um homem que é convidado para orientar um milionário estrangeiro em sua passagem pelo Rio de Janeiro. Durante esse trabalho, em meio a confrontos com a polícia, encontros com traficantes e estrelas de cinema, corrupção e assassinato, ele se envolve em festas orgíacas e ménage à trois. Um clássico.

2. Os Bons Tempos Voltaram, Vamos Gozar Outra Vez

O filme tem já no título um duplo sentido irônico. Lançado no ano em que terminaria a ditadura no Brasil, o filme traz a estelar da época Carla Camurati em duas histórias: a primeira se passa no Rio de Janeiro na década de 1950 e a segunda coloca o dedo... na ferida, ocorrendo durante o Golpe de 1964. Um filme sem medo, dirigido por Ivan Cardoso (eternizado no recente documentário Ivan, O TerrirVel – de Mario Abbade) e John Herbert.

1. As Cangaceiras Eróticas

Quando o padre é morto por bandidos, Helena – uma de suas alunas em um colégio interno – reúne suas amigas e formam uma gangue vingativa. Juntas, elas partem para a captura dos assassinos do amado professor. E a vingança vem por meio do sexo, claro. As Cangaceiras Eróticas é uma das pornochanchadas mais conhecidas e inusitadas do repertório. Helena Ramos está maravilhosa no filme e a direção é de uma das lendas da pornochanchada: Roberto Mauro.

Imagem: Reprodução/Transbrasil

Menção Especial: Os Sete Gatinhos

Baseado em uma peça teatral homônima escrita por Nelson Rodrigues, Os Sete Gatinhos é escrito e dirigido por Neville de Almeida, diretor também de A Dama do Lotação e do listado Rio Babilônia. Conta com Antônio Fagundes, Ana Maria Magalhães e Ary Fontoura no elenco, mas acabou se tornando célebre especialmente por uma cena protagonizada por Lima Duarte: "Quem foi que desenhou caralhin*** voadores na parede do banheiro?"

Por enquanto é isso. A pornochanchada teve seu declínio antes dos anos 1990, findando junto a uma crise econômica que atingiu o Brasil e que afetou os cinemas, reduzindo drasticamente seu público. Mas a lista poderia ser maior. Você consegue lembrar de alguns filmes interessantes dentro desse gênero brasileiro? Diz pra gente nos comentários!

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.