Galáxia a 300 milhões de anos-luz é composta por 99,9% de matéria escura

Por Redação | 25 de Agosto de 2016 às 20h32
photo_camera Gemini Observatory

É sabido que cerca de 85% da massa de todo o universo é composta por uma substância ainda misteriosa chamada de matéria escura. "Escura” pelo fato de que ela não é visível a nenhum tipo de luz, e a mais recente descoberta relacionada a ela dá conta de que existe uma galáxia, chamada Dragonfly 44, que é surpreendentemente composta por 99,9% dessa substância.

Localizada a cerca de 300 milhões de anos-luz da Terra, a galáxia vem sendo estudada e os cientistas do observatório Gemini registraram suas observações em um documento publicado no Astrophysical Journal Letters. Nele, Pieter van Dokkum, autor do estudo, disse que a galáxia “tem tão poucas estrelas que ela seria rapidamente desmembrada, a não ser que algo as estiver segurando”.

A galáxia Dragonfly 44, que tem mais ou menos a mesma massa da Via Láctea, mas somente 0,01% desse total é composto por estrelas e matéria visível. O restante seria matéria escura. (Reprodução: Pieter van Dokkum/Roberto Abraham/Gemini Observatory/AURA)

Van Dokkum e sua equipe rastrearam o movimento dessas estrelas usando o Keck Observatory, que faz parte do Gemini North Telescope, localizado no Havaí. O resultado desse movimento mostrou que as estrelas da Dragonfly 44 se movem muito mais rapidamente do que deveriam, e que esses astros, somados ao restante da matéria visível, compreendem apenas 0,01% da massa gravitacional da galáxia – o que levou os cientistas a concluir que todo o restante só poderia ser composto de matéria escura.

No total, a Dragonfly 44 tem uma massa equivalente a 1 trilhão de Sóis, algo similar à massa da Via Láctea. “Nós não fazemos ideia de como uma galáxia como a Dragonfly 44 possa ter se formado”, revelou Roberto Abraham, co-autor do estudo. “Os dados obtidos pela Gemini mostram que uma fração relativamente grande das estrelas está fomando clusters bastante compactos, e isso provavelmente é uma pista importante. Mas no momento estamos apenas fazendo suposições”, disse o cientista.

A matéria escura é um mistério cosmológico há décadas, sendo que até não muito tempo atrás seu conceito era rejeitado pela maior parte da comunidade científica. O que tem sido mais aceito ultimamente é a ideia de que a matéria comum representa cerca de 5% do conteúdo do universo, enquanto a matéria escura ocupa mais ou menos 26% e o restante seria ocupado pela energia escura – outra coisa cuja definição ainda é um tanto quanto nebulosa (sem trocadilhos, claro).

Fonte: Gemini Observatory

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.