Crítica Licorice Pizza | Filme é obra leve sobre se aventurar nos sentimentos

Crítica Licorice Pizza | Filme é obra leve sobre se aventurar nos sentimentos

Por Natalie Rosa | Editado por Jones Oliveira | 04 de Março de 2022 às 21h30
MGM

Filmes e séries que se passam na Califórnia parecem pertencer a um gênero único, tamanhas são as características desse estado ensolarado dos Estados Unidos. Entre palmeiras, pôr-do-sol rosado e calor, histórias californianas são identificadas facilmente pelo visual, e isso se repete em Licorice Pizza, o mais recente filme de Paul Thomas Anderson.

O longa traz uma história leve e que tem como pano de fundo o romance no estado preferido dos aspirantes a artistas. Licorice Pizza, indicado ao Oscar 2022 nas categorias de Melhor Filme, Melhor Direção e Melhor Roteiro Original, que também é de Anderson, se consagra como uma história de se permitir ter sentimentos e se deixar levar pelo fluxo daquilo que é sentido.

O longa é dirigido e roteirizado por Paul Thomas Anderson (Imagem: Divulgação/MGM)

Atenção: esta crítica contém spoilers de Licorice Pizza!

Licorice Pizza se passa em 1973, no sul da Califórnia, e conta a história de uma mulher de 25 anos e um adolescente de 15. Ele, Gary (Cooper Hoffman), se apaixona de imediato por ela, Alana (Alana Haim). Enquanto o jovem não hesita em demonstrar a atração pela mulher mais velha, ela luta para esconder seus sentimentos, que não são necessariamente de paixão.

Ao longo do filme, Alana demonstra gostar da sensação de ser admirada por Gary e pelos sentimentos de jovialidade que ele transmite a ela. O comportamento, no entanto, é constantemente reprimido por ela não só devido à diferença de idade, mas também por ele ainda ser menor de idade e ela já ser uma mulher adulta.

Sentimento

Desde que Alana conhece Gary, enquanto trabalhava como fotógrafa na escola em que ele estudava, eles nunca mais se largaram. A partir de então, Licorice Pizza nos leva a uma aventura em que nenhum dos acontecimentos fazem sentido, ao mesmo tempo em que se encaixam perfeitamente em sua proposta.

Alana e Gary são um casal improvável (Imagem: Divulgação/MGM)

Ainda que a relação entre os dois seja vista de forma leve por quem está assistindo, ambos são provocativos, principalmente quando escolhem fazer isso provocando ciúmes um no outro estando ao lado de pessoas que se encaixam em suas faixas etárias. Mesmo com essas ações, nos divertimos em ver a relutância de um lado e a decepção amorosa do outro.

Aventuras

Licorice Pizza é um filme que não traz uma história potente e relevante de modo geral, mas sim um conto simples e divertido, criado unicamente para prender a atenção através do sentimento de conforto. O não-casal, então, parte em uma aventura com a empresa do garoto prodígio, que vende colchões de água. Gary e Alana se dedicam à venda dos produtos ao longo de todo o filme, o que acaba sendo uma desculpa para que sempre estejam juntos.

Essa aventura nos leva a outros personagens da trama, que deixam a produção ainda mais divertida. Unem-se a Cooper Hoffman, que é filho do saudoso ator Philip Seymour Hoffman, e Alana, que tem uma banda chamada Haim com duas irmãs, nomes conhecidos como Bradley Cooper e Sean Penn. Ambos performam personagens curiosos e que, de certa forma, transparecem a instabilidade tanto no romance quanto nos negócios da dupla.

Bradley Cooper e Sean Penn também marcam presença no filme (Imagem: Divulgação/MGM)

As demais integrantes da banda Haim, inclusive, também estão no filme interpretando o mesmo papel da vida real, de irmãs de Alana. Paul Thomas Anderson acertou na escolha da protagonista, que executou sua personagem com maestria, e o talento já havia sido observado no trabalho do diretor nos clipes do grupo feminino.

A agora atriz consegue entregar uma atuação tão natural que é como se ela estivesse apenas existindo naquela história, e que não só o nome é o mesmo, mas também a sua personalidade como um todo.

Identidade

Paul Thomas Anderson registra sua identidade na forma de dirigir Licorice Pizza, que acerta na composição da década de 1970 e explora os recursos existentes dentro das próprias cenas para tornar o filme mais interessante e em um exemplo de como fazer cinema.

O diretor aposta em cenas longas que seriam maçantes se não fossem tão bem feitas, como o momento em que Alana faz um longo percurso pelas ruas com um caminhão sem gasolina em marcha-ré na descida das colinas da Califórnia.

Anderson também explora toda e qualquer obstáculo de vidro existente nas cenas, principalmente quando é possível filmar o personagem em seu reflexo em composição com o que não está refletido, ou ainda explorando a barreira criada contra o som. O diretor também acerta na simplicidade dos acontecimentos, se dedicando a trazer diversos momentos de leveza que completam suas duas horas de duração.

O diretor explora a simplicidade e transforma em grandeza (Imagem: Divulgação/MGM)

Licorice Pizza é uma ótima aposta para o Oscar, trazendo uma história que não é de amor ou de paixão, mas sim de uma forma de carinho e aproximação vivida por poucos, explorando o que é simples e transformando em um sentimento grande.

Licorice Pizza está em cartaz nos cinemas de todo o Brasil; garanta seu ingresso na Ingresso.com.

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.