Conheça o 'Inferno', um canhão sônico que deve ajudar a PM a dispersar multidões

Por Redação | 28.06.2013 às 16:34

No próximo domingo (30), o Rio de Janeiro será palco da final da Copa das Confederações, mas este não será o único evento do dia na cidade. Manifestantes do 'Comitê Popular da Copa e Olimpíadas do Rio' vão se reunir às 10h no entorno do Maracanã para protestar, entre outras coisas, pela imediata anulação da privatização do estádio carioca.

Porém, a Polícia Militar do Rio de Janeiro está se preparando para dispersar multidões mais exaltadas. Neste final de semana, as autoridades vão contar com a ajuda de um equipamento diferente: o canhão sônico, apelidado de 'Inferno'. Apesar do nome um pouco assustador, trata-se de um dispositivo não letal que afasta as pessoas devido ao som que emite.

Canhão sônico

Imagem: Reprodução / CNews

Durante o 'Occupy Wall Street', que aconteceu em Nova York no ano passado, a tecnologia também foi utilizada contra manifestantes que tomaram as ruas. Na última quinta-feira (27), a Guarda Municipal de Fortaleza foi acusada de utilizar o canhão sônico próximo à Arena Castelão, onde Espanha e Itália jogavam.

"Oficialmente, a Guarda Municipal de Fortaleza não dispõe de canhão de som nenhum. Nunca houve essa compra”, afirmou a assessoria de imprensa da Guarda. No entanto, o jornal O POVO noticiou que a Guarda Municipal de Fortaleza possui um canhão sonoro, porém o equipamento ainda está em fase de testes. De qualquer forma, nada confirma que ele foi realmente utilizado contra os manifestantes nas proximidades do estádio.

De acordo com informações divulgadas pelo CNews, o sistema do canhão dispara uma espécie de sirene que utiliza quatro frequências simultâneas entre 2 e 5Khz com uma potência de quase 123 decibéis, que resultam em sintomas agudos de desorientação, tontura, náuseas e dores no peito.

Se as pessoas atingidas pelo canhão sonoro não sairem do local e continuarem expostas ao alarme, poderão vomitar e até mesmo desmaiar. Lembrando que o grande segredo da arma não é a quantidade de decibéis, mas sim as frequências simultâneas. Será que o 'Inferno' vai conseguir espantar a multidão, caso seja necessário?

Um vídeo que circula na web há cerca de três meses alega que o canhão sônico já foi utilizado no Rio de Janeiro, durante a chamada "Operação Aldeia Maracanã".