Quais são os perigos em fazer compras online?

Por Andressa Neves | 13 de Julho de 2018 às 07h59

As vendas online têm crescido em todo o mundo. Além de permitir que os compradores comparem preços em diferentes sites de forma rápida, a internet oferece a comodidade de que os usuários recebam os produtos no conforto de sua casa. 

De acordo com especialistas, o e-commerce deve crescer 15% em 2018. A previsão de faturamento para o período é de nada menos que R$ 69 bilhões, com expectativa de mais de 220 milhões de pedidos em lojas virtuais.

Apesar dos números positivos, muitas pessoas ainda passam maus bocados com as compras online, por isso alguns cuidados são necessários na hora de fechar um pedido. Você sabe quais riscos existem ao fazer compras online e como se proteger para evitar possíveis dores de cabeça?

Participe do nosso GRUPO CANALTECH DE DESCONTOS do Whatsapp e do Facebook e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.

Os riscos ao consumidor na hora da compra online

Basicamente, estes são os riscos mais comuns ao se fazer compras online: o roubo de dados de cartões de crédito/contas bancárias, o não recebimento dos produtos e o recebimento de produtos falsos/usados. 

Cartões de crédito e conta bancária

Uma das formas mais comuns de criminosos acessarem os dados de cartões de crédito ou contas bancárias é por meio de phishing, uma técnica de fraude que acontece, em geral, em sites ou e-mails falsos que se passam por empresas famosas. O mais comum é que os conteúdos com phishing ofereçam promoções absurdas, levando o consumidor desinformado a uma página que imita o da empresa verdadeira, mas que é, na verdade, controlado por criminosos. Ao realizar a compra, os bandidos recebem os dados da vítima, podendo, então, utilizar seus cartões de crédito e fazer transferências bancárias.

Produtos que nunca são entregues/mercadorias falsas

Outra estratégia comum entre os criminosos é a criação de sites fraudulentos que não entregam as mercadorias. Nesse caso, a vítima faz o pagamento, mas não recebe o produto. Há também os sites que vendem produtos como se fossem novos e originais, mas a vítima recebe em sua casa um produto usado, falsificado e, muitas vezes, inútil. Quem nunca ouviu uma história bizarra de alguém que comprou um celular e recebeu um tijolo no lugar? Pois é, pode parecer engraçado, mas infelizmente esse tipo de coisa vem acontecendo em todo o lugar.

Como evitar cair em golpes online?

Para evitar cair em golpes na internet, o usuário deve ter alguns cuidados essenciais. O primeiro deles é, sem dúvida, desconfiar de promoções mirabolantes, evitando abrir anexos de e-mails duvidosos - eles podem instalar arquivos maliciosos em seu computador, tablet ou smartphone. Em seguida, é fundamental pesquisar sobre a loja em que se deseja realizar a compra. Sites como o Reclame Aqui dão indícios sobre a confiabilidade das empresas.

Há, ainda, outros indicadores relevantes na hora de checar a idoneidade de uma loja virtual: a presença de serviço de atendimento ao consumidor, endereço e telefone. Outra dica valiosa é verificar se a loja virtual disponibiliza o número de seu CNPJ. Com ele em mãos, vale a pena fazer uma pesquisa na Receita Federal.

Vale lembrar, também, que sites confiáveis apresentam certificado de segurança, simbolizado por um cadeado na barra de endereço. Ao clicar no ícone, é possível checar a certificação da página. 

Além desses cuidados básicos, é importante manter programas de segurança instalados nos dispositivos, como antivírus, antispyware e firewall. Esses softwares são capazes de detectar e remover ameaças cibernéticas, bem como evitar ataques aos aparelhos. Para garantir sua perfeita execução, lembre, também, de manter o sistema operacional de computadores, tablets e smartphones atualizados, já que os updates trazem correção a possíveis vulnerabilidades. 

Se mesmo com todos esses cuidados você acabar sendo vítima de algum golpe na internet, procure uma Delegacia de Polícia. Hoje há, inclusive, Delegacias Especializadas em Crimes Virtuais, responsáveis pela investigação de crimes cibernéticos.

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.