Na Páscoa, e-commerce cresce 64% e fatura R$ 3,2 bilhões

Na Páscoa, e-commerce cresce 64% e fatura R$ 3,2 bilhões

Por Redação | 15 de Abril de 2020 às 17h00

Sem poder sair de casa, consumidores movimentaram o e-commerce no país. De acordo com o Compre&Confie, empresa de inteligência de mercado focada em e-commerce, o faturamento do varejo digital no período cresceu 64%, atingindo R$ 3,2 bilhões. O aumento pode ser explicado pelo maior volume de pedidos feitos pela internet: ao todo, foram 8,8 milhões de compras, aumento de 89% em relação ao mesmo período do ano anterior. O levantamento compara os dias 1º a 12 de abril de 2020 ante 10 a 21 de abril de 2019. 

O destaque foram os ovos de páscoa. A compra online de “última hora” (na mesma semana da Páscoa) desses itens representou mais de 77% das vendas do período. O serviço de entrega rápida e retirada em lojas ofertado aos consumidores é visto como um dos fatores essenciais para atender à demanda na data. 

“Os ovos de páscoa tiveram aumento de 501% no número de pedidos realizados, o que se traduziu num incremento de 685% no faturamento atingido pela categoria. Os brasileiros, inclusive, gastaram 31% a mais com cada compra feita dentro desse segmento este ano”, afirma André Dias, diretor executivo do Compre&Confie.

Voltando a olhar para o e-commerce em uma perspectiva geral, é possível perceber que a idade média dos compradores é de 37 anos, sendo os principais consumidores aqueles que têm entre 36 e 50 anos (responsáveis por 34,7% dos pedidos realizados). Em segundo lugar, estão os de 26 a 35 anos (32,2%), seguidos por aqueles de até 25 anos (18,5%). Por último, estão os que têm mais de 51 anos (14,7%).

Ao segmentar as compras por região, é possível perceber que o Sudeste mantém o protagonismo, com 67,3% dos pedidos realizados. Em segundo lugar, está o Sul (13,2%) e, em terceiro, o Nordeste (11,6%). Centro-Oeste (6%) e Norte (1,9%) ocupam as últimas posições, respectivamente.

“O brasileiro está cada vez mais acostumado com o e-commerce, um comportamento que tem sido reforçado durante todo esse período de pandemia. Se antes as pessoas procuravam mais por itens de maior tíquete médio, hoje procuram por produtos capazes de atender à sua rotina. Os resultados de Páscoa só reforçam essa tendência”, finaliza Dias.

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.