Pesquisa: investimento inicial para abrir um e-commerce é de até R$ 1 mil

Por Redação | 11 de Abril de 2014 às 13h44
photo_camera Maxx-Studio

Foto:Maxx-Studio/Shutterstock

Já pensou em abrir seu próprio negócio? Esse é o sonho ou objetivo de muita gente, mas também costuma ser sinônimo de altos investimentos e demora para se obter um retorno. Porém, na era digital, abrir um negócio online não é tão dificil assim. E os investimentos não são vultuosos. Segundo a pesquisa “Quem é o micro e pequeno empreendedor digital brasileiro”, feita pela plataforma de e-commerce Loja Integrada, o investimento máximo não passou de mil reais, na maioria dos casos. Realizada em janeiro desse ano, 1806 lojistas virtuais foram entrevistados.

“Com a facilidade das tecnologias de e-commerce, há um movimento enorme em direção ao comércio na internet. Antigamente era preciso ter muito dinheiro para começar uma loja virtual. Hoje, qualquer pessoa com acesso à internet pode tornar-se um empreendedor. Nosso objetivo com a pesquisa era conhecer quem são as pessoas que estão investindo na rede”, explica Adriano Caetano, diretor da Loja Integrada, que em dez meses desde o lançamento já possui mais de 50 mil usuários.

Loja Virtual

A pesquisa mostrou que 73% dos lojistas virtuais têm até 40 anos, 67% são homens e 74% ingressaram na faculdade. Mais de 63% estão se aventurando pela primeira vez no e-commerce e 42% têm conhecimentos básicos em informática. “A pesquisa mostra que não é mais preciso ser um programador ou designer para investir na internet”, explica.

A principal motivação para abrir uma loja virtual é o sonho de ser empreendedor e, para 47%, o e-commerce é seu primeiro negócio próprio. Um em cada três também mudam totalmente de área na loja virtual e 80% conciliam a loja virtual com outros negócios ou emprego. “A loja virtual pode ser uma transição entre um emprego e a vida de empreendedor. Como exige baixo investimento inicial e poucos riscos, permite que o lojista experimente antes de se dedicar exclusivamente. Percebemos que a loja virtual começa como uma alternativa de renda e, com o crescimento, torna-se a fonte de renda principal”.

Vendas e Marketing

Sobre o faturamento, 70% está otimista em relação às vendas em 2014. A rede social é a estratégia de marketing que mais dá retorno, seguido do e-mail marketing. Inclusive, investir em mídia e marketing é a principal dificuldade apontada pelos entrevistados, além de concorrer com grandes empresas, e para 2014, a grande maioria irá investir mais em marketing.

“Para ampliar as vendas, o micro e pequeno empreendedor não devem concorrer com os mesmos produtos de grandes empresas. Ele deve trabalhar com produtos de nicho, que poucas empresas vendem. Outro diferencial do pequeno é a proximidade com o cliente, por isso ele deve investir no atendimento, para incentivar a recompra e o boca a boca. Nossa dica é: cuide de seu cliente, envie um mimo, peça feedback, agradeça e se errou, peça desculpas”, explica Adriano.

Para o diretor, é preciso aproveitar também as oportunidades de divulgação que a internet oferece: redes sociais, otimização em sites de busca, integração com comparadores de preços, marketplaces, como o Mercado Livre, e-mail marketing. “Apenas 30% das pessoas que têm acesso à internet compram online. Isso significa que há um enorme mercado para o lojista nos próximos anos com novos consumidores digitais”, completa.

O Facebook tem investido muito em sua plataforma de propagandas na internet, que inclusive é sua principal fonte de renda e gera bilhões e bilhões por ano. Então, vale a pena estudar sobre o assunto e investir nos anúncios da rede social. Já no Google, você pode colocar seu anúncio no topo das pesquisas por meio dos links patrocinados, o que aumenta significativamente a visibilidade do negócio.

Abaixo, você todos os dados coletados na pesquisa “Quem é o micro e pequeno empreendedor digital?”:

  • 73% têm até 40 anos;
  • 56% pertencem à classe B1;
  • 74% ingressaram na faculdade;
  • 67% são homens e 33% mulheres;
  • 71% investiram até R$ 1 mil;
  • 42% têm conhecimentos básicos de informática;
  • O sonho de empreender é a motivação principal para abrir uma loja virtual e, em segundo lugar, aumentar a renda familiar;
  • A loja virtual é o primeiro negócio próprio para 47% deles e 63,5% investe em seu primeiro e-commerce;
  • Para 1 em cada 3, a loja virtual não tem relação com sua área de atuação;
  • 25% produzem o produto que vende;
  • Apenas 20% se dedicam exclusivamente à loja virtual;
  • 60% trabalham sozinhos e 77% na própria casa;
  • Ter um negócio próprio é a principal alegria do lojista virtual e investir em marketing e mídia é a principal dificuldade;
  • Mídia Social é a estratégia que mais traz resultados em vendas, seguida de e-mail marketing;
  • 70% estão otimistas com o futuro financeiro;
  • Para 2014, maioria quer investir mais em marketing.
Instagram do Canaltech

Acompanhe nossos bastidores e fique por dentro das novidades que estão por vir no CT.