Marinha de Portugal revela que está construindo drones modificados para guerras

Por Natalie Rosa | 06 de Outubro de 2019 às 16h30
Imagem: Reprodução/Célula de Experimentação Operacional de V

A Célula de Experimentação Operacional de Veículos Não Tripulados da Marinha de Portugal, a CEOV, acaba de revelar que está desenvolvendo "brinquedos" de controle remoto com câmeras para serem usados como disparadores de granadas.

A unidade, também chamada de Divisão Q, está desenvolvendo o projeto com marinheiros com um vasto treinamento técnico, além de especialistas em engenharia e hackers.

Entre as armas produzidas, a unidade apresentou a jornalistas drones feitos com carros controlados via rádio modificados para o lançamento de granadas, ou seja, para mirar e acertar um alvo.

Imagem: Reprodução/Célula de Experimentação Operacional de Veículos Não Tripulados

O objetivo do projeto, de acordo com o vice-almirante da marinha portuguesa, Gouveia e Melo, é "combater ameaças assimétricas com um pensamento assimétrico".

Para o tenente Tiago Mendes, líder da equipe, o processo da marinha na aquisição de novas tecnologias é muito lento, afirmando ainda que seus smartphones são muito mais poderosos que seus navios. Por isso, nasceu a tática para a pesquisa e desenvolvimento de seus próprios armamentos tecnológicos.

Fonte: Zap, Ars Technica

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.