Monitor ultrawide: tudo o que precisa saber antes de comprar o seu!

Monitor ultrawide: tudo o que precisa saber antes de comprar o seu!

Por Victor Carvalho | Editado por Wallace Moté | 27 de Julho de 2021 às 19h20
Alexandru Acea/Unsplash

Quando falamos em monitores o tamanho costuma ser documento, e embora opções grandes sejam populares por motivos óbvios — uma vez que muito mais conteúdo pode ser exibido quando comparado com uma pequena tela de notebook —, é importante ficar de olho em outros detalhes para não se decepcionar na compra de um monitor.

Pensando nisso, o Canaltech separou alguns pontos a serem levados em conta na hora de escolher o melhor monitor ultrawide, seja para aumentar a imersão durante a jogatina ou para melhorar sua produtividade no trabalho ou estudo. 

Proporção 16:9, 21:9 e 32:9

Monitores ultrawide oferecem maior porção de tela comparado com modelos tradicionais (Imagem: Victor Carvalho/Canaltech)

Enquanto o tamanho e a resolução costumam ser características mais populares em monitores, uma vez que temos modelos de diversas polegadas com qualidade Full HD ou 4K, é a proporção mais larga que dá destaque aos monitores da categoria ultrawide, permitindo que mais conteúdo seja exibido na tela e assim otimizando tempo de quem quer trabalhar e melhorando o campo de visão de quem quer jogar.

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

Enquanto os tradicionais monitores wide contam com proporção 16:9 (popular em smartphones mais antigos e ainda adotado como padrão em boa parte das TVs), o ultrawide conta com proporção cinematográfica de 21:9 ou superior, permitindo que muito mais conteúdo seja exibido nas laterais e janelas possam mostrar todo o conteúdo sem prejudicar ou limitar a diagramação da página ou do programa.

Monitores ultrawide costumam adotar o padrão 21:9, mas outros modelos se destacam pelo tamanho ainda mais excessivo graças à proporção de 32:9, dobrando o padrão de 16:9 para quem realmente busca muito mais espaço na tela.

Versões ainda mais expandidas contam com o dobro do padrão 16:9 (Imagem: Victor Carvalho/Canaltech)
  • Monitor 16:9 oferece a experiência tradicional
  • Monitor 21:9 expande a tela para suportar mais conteúdo
  • Monitor 32:9 dobra a proporção dos tradicionais para muito mais exibição

Caso você nunca tenha utilizado um monitor 21:9, é possível que a mudança do 16:9 seja grande, mas com certeza a diferença será ainda mais severa saltando diretamente para o 32:9. Por segurança, vale mais a pena buscar o modelo ultrawide padrão de 21:9 caso queira ter um primeiro contato com esse mundo.

Monitor curvo faz diferença?

Monitores curvos oferecem maior conforto por ajustar ângulos dos cantos da tela com os olhos (Imagem: Alexandru Acea/Unsplash)

É muito comum se deparar com essa questão ao olhar diferentes opções de monitores e se deparar com opções curvas ao lado de modelos planos.

Enquanto muitos já estamos acostumados com telas retas por todos os lados, seja em TVs, notebooks ou celulares, os monitores curvos prezam por maior conforto dos olhos ao alinhar os cantos do display com os olhos, oferecendo menos esforço de visão e menos distorção nas extremidades da tela.

Além disso, há outro fator fundamental para a escolha de monitores curvados: o preço maior. Se seu orçamento estiver apertado e você não ligar muito para tal característica, a escolha de um monitor flat não vai te decepcionar, mas se já usou um monitor curvo e curtiu a experiência, vale a pena investir mais.

Para quem busca produtividade

Monitor ultrawide pode ser um grande aliado para quem divide duas ou mais janelas na área de trabalho (Imagem: Luke Peters/Unsplash)

Se você é uma pessoa que utiliza diversas janelas abertas ao mesmo tempo, divide a área de trabalho para manter um programa sempre aberto de um lado, um de outro lado enquanto ainda assiste vídeos ou transmissões ao vivo, você deve se beneficiar muito da tela expandida de monitores ultrawide.

Com isso, em vez de tudo ficar compactado em uma estreita tela 16:9, você possui mais espaço para expandir diferentes janelas, visualizar vídeos com tamanhos maiores e abrir programas sem grandes preocupações, oferecendo grande melhoria em produtividade para quem gosta de manter as principais informações sempre à vista. 

E para quem quer jogar

(Imagem: Reprodução/Samsung)

Enquanto produtividade com monitores mais largos ainda é um nicho, com certeza o mercado de monitores gamer ultrawide é muito mais amplo. Basta olhar os mais diversos modelos à venda em todo o mundo e como a grande maioria é voltada para o público que busca uma maior imersão ao jogar.

Oferecendo um campo de visão muito maior que o padrão, monitores ultrawide com 21:9 ou 32:9 permitem que jogos possam exibir mais conteúdo para maior imersão. Em jogos de corrida, uma maior quantidade da pista e mais adversários são vistos no cenário, permitindo até mesmo observar concorrentes pelos retrovisores do carro. Em jogos FPS (tiro em primeira pessoa), jogadores ganham maior campo de visão permitindo visualizar mais inimigos e detalhes do cenário para se preparar melhor.

Monitores gamers ainda oferecem características exclusivas como redução na latência, modo jogo para resposta mais veloz no clicar de um botão, além de otimização de HDR, melhorias de cor e contraste e muito mais. 

Agora resta você procurar pelo modelo que cabe no seu orçamento, garantir que a tela ultrawide não vá prejudicar sua bancada de trabalho, estudos ou jogos e comprar um monitor ultrawide para dar um salto na produtividade ou na jogatina (ou quem sabe nos dois). E claro que o Magalu te ajuda nessa tarefa, com as melhores ofertas disponíveis para as mais variadas marcas.

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.