Bigoday: o dia em que o bigode é o grande protagonista

Por Douglas Ciriaco | 26.08.2015 às 08:45

Desde 2007, uma verdadeira tradição vem se formando no Brasil: o dia do bigode — ou Bigoday, como chamam os seus criadores. Celebrado todo dia 26 de agosto desde então, o evento começou como uma brincadeira entre quatro amigos responsáveis pelo extinto blog Aham.

E a ideia deste dia era bem simples: passar as suas 24 horas ostentando um bigode. Não importa se os pelos sobre os lábios são esparsos ou volumosos, o que vale é mantê-los apenas por ali, sem cavanhaque ou costeleta. Além disso, pessoas desprovidas de pelos (ou mesmo de coragem de ficar só de bigode) podem recorrer aos bigodes artificiais e à criatividade para participar, divulgando sua foto nas redes sociais com a hashtag #bigoday.

Alguns sites e blogs da web investem bastante na divulgação do dia, reunindo fotos de participantes e até mesmo realizando alguns concursos para premiar os melhores bigodes. Para celebrar o Bigoday 2015, nós preparamos uma playlist com alguns bigodes clássicos da música para você ouvir. Confira:

Fatos curiosos sobre o bigode

Gentileza e sofisticação

  • Uma pesquisa feita pelo jornal britânico The Guardian revelou que 61% dos entrevistados acreditavam que uma pessoa de bigode aparentava ser gentil e sofisticada;
  • A fabricante de equipamentos para barbeiros e cabeleireiros Wahl e o Instituto Americano do Bigode, dos Estados Unidos, realizaram uma pesquisa no país norte-americano. A partir das informações coletadas, concluiu-se que nove a cada 10 pessoas acreditam que o bigode é apropriado aos locais de trabalho.

É a hora e a vez do bigode crescer

  • Cientistas atestam que os pelos humanos crescem, em média, entre 12 e 15 centímetros por ano. Isso quer dizer que se você tiver paciência (e hormônios) o suficiente, é possível ter um bigode considerável em menos de 12 meses.

Respeita o moço

  • De acordo com o Guiness Book, o livro dos recordes, o maior bigode do mundo é o de Ram Singh Chauhan, da Índia. O sujeito carrega no rosto um bigode que mede nada menos do que 4,29 metros de cumprimento.

Desde os tempos mais primórdios

  • O mais antigo registro de um bigode vem de 300 a.C. A imagem é um retrato de um cavaleiro cita, povo antepassado dos iranianos.

Quem ama não esquece

  • Um homem toca o seu bigode, em média, 760 vezes durante um dia inteiro.

Na história, nas artes e no futebol

  • O bigode muitas vezes se torna a marca registrada de um personagem histórico e exemplos disso não faltam. Para incluir apenas alguns mais famosos do Brasil e do mundo, podemos citar o político maranhense José Sarney, o ativista ambiental acreano Chico Mendes, o ativista estadunidense Martin Luther King Jr., o revolucionário mexicano Emiliano Zapata, o físico alemão Albert Einstein, o ditador soviético Joseph Stalin e o ditador nazista Adolph Hitler;
  • Artistas também muitas vezes passam a ser reconhecidos não só pelo seu talento, mas também pelos pelos que ostentam na região da boca. É o caso do músico cearense Belchior, do poeta paranaense Paulo Leminski, do pintor espanhol Salvador Dali, do comediante estadunidense Groucho Marx, do músico britânico Freddy Mercury, do cineasta britânico Charlie Chaplin e do músico estadunidense Frank Zappa;
  • O futebol também está repleto de atletas que se tornaram icônicos não só pelos feitos dentro das quatro linhas, mas também pelos imponentes bigodes que carregam no rosto. É o caso dos brasileiros Rivelino, Valdir Bigode, Toninho Cerezo, Vampeta, Ricardo Rocha, Junior e Luiz Felipe Scolari, dos colombianos René Higuita, Valderrama e Freddy Rincon, do inglês David Seaman, do alemão Vudi Roller, dos holandeses Ruud Gullit e Frank Rijkaard e do camaronês Roger Milla — e esta lista poderia ser ainda maior.

Fontes: Bigoday (Tumblr), Reader's Digets, How to Grow a Moustache, Mustache Hall of Fame, Guiness World Records