Entenda as diferenças entre os tipos de DVDs e discos de Blu-Ray

Por Muni Perez

A diminuição dos preços e a praticidade dos pen drives e HDs externos fizeram diminuir bastante o uso dos DVDs para o armazenamento de dados no dia a dia, porém eles ainda são ferramentas importantes. Caso você tenha uma grande quantidade de arquivos que não pretende usar no futuro próximo, mas precisa guardá-los permanentemente, o DVD é uma excelente opção pois é barato e ocupa pouco espaço.

DVDs

Existem quatro tipos de mídias de DVD, e é importante conhecer as diferenças entre elas, para que você possa fazer a escolha correta e armazenar os seus dados da melhor maneira possível.

Primeiro, é importante saber a cronologia do DVD. O primeiro modelo lançado foi o DVD-RAM, em 1996. Em seguida, em 1997, veio o DVD-R, seguido pelo DVD RW, DVD+RW, e, finalmente, o DVD+R em 2002.

O DVD-RAM, como é o modelo mais antigo, já está praticamente fora de uso, sendo bem difícil encontrá-lo no mercado. Se você deseja que a mídia gravada seja compatível com todos os leitores de DVD, então você deverá usar o DVD-R.

Você deve notar que são dois modelos, basicamente: o R e o RW. R significa que ele só pode ser gravado uma vez (Recordable), e o RW é o reaproveitável (Re-Writable). E cada um deles tem o “+” e o “-“. Tanto o DVD-R quanto o DVD-RW são os primeiros modelos de cada tipo, já o DVD+R e DVD+RW são aprimoramentos dos seus correspondentes, e são mais estáveis e seguros. A desvantagem é que, caso seja necessário acessar os discos em outro lugar que não seja o aparelho que efetuou a gravação, é possível que haja incompatibilidade pois o leitor pode não ser compatível com os modelos “+”. Porém, hoje em dia a grande maioria dos leitores já suporta todos os DVDs, então esse problema só ocorrerá em casos bem específicos.

Vale lembrar também que os DVD-RW e DVD+RW possuem um limite de ciclos de gravação, e que os DVDs de camadas únicas armazenam até 4.7 GB, e os de dupla camada armazenam até 8.5 GB.

Blu-Ray

O Blu-Ray é um formato relativamente novo comparado com o DVD, e a grande diferença é a enorme capacidade de armazenamento, mas uma menor velocidade de gravação dos dados.

Existe uma grande quantidade de tipos e formatos, o que pode gerar confusão. Os mais importantes são: BD-R, BD-RE, BD-XL e Mini-BD. O primeiro é o Recordable - gravável, o segundo é o Recordable Erasable - o regravável, e o terceiro é o multicamadas. O BD-Mini, como o nome diz, são discos BD-R e RE reduzidos, para uso em aparelhos menores, como filmadoras portáteis que possuem o recurso de gravar em Blu-Ray.

A capacidade do Blu-Ray é de 25 GB por camada. A maioria dos discos possui 2 camadas, ou seja, 50 GB por disco. O Mini-BD pode armazenar até 7.8 GB.

O BD-XL é um novo formato, lançado em 2010, e consiste em um disco de 4 camadas, com capacidade de 128 GB para o modelo R, e 100 GB para o RE (regravável). Porém, pouquíssimos leitores de Blu-Ray são compatíveis com o XL, então você pode não conseguir usá-lo caso necessite abrir a mídia em um leitor que não seja o que você gravou o disco.

A diferença básica entre o DVD e o Blu-Ray é o laser usado para fazer a leitura. Como o nome diz, o laser do Blu-Ray é azul, que possui um comprimento de onda menor que o laser vermelho dos CDs e DVDs. Isso permite uma maior densidade de dados armazenados.

O Blu-Ray é o sucessor do DVD, e em consequência, as empresas continuam fazendo pesquisas para aumentar a capacidade de armazenamento, e inclusive um laser com luz violeta azulada está em desenvolvimento, o que permitirá colocar até 1 TB em um disco de Blu-Ray.