Só existem mais 4 milhões de bitcoins a serem minerados no mundo

Por Ramon de Souza | 26 de Abril de 2018 às 17h55

Você pode até não saber, mas bitcoins não são infinitos — quando Satoshi Nakamoto (responsável pelo projeto das criptomoedas) criou tal token digital, ele estipulou que só seria possível ter 21 milhões de unidades circulando na web. Atualmente, já temos 17 milhões ao redor da internet, o que significa que só restaram 4 milhões a serem minerados. Isso, de acordo o investidor Ansel Lidner, pode causar um aumento vertiginoso no preço da moeda.

Em entrevista ao CNBC, Ansel — que também apresenta um podcast sobre o assunto — afirmou acreditar que o valor da unidade do bitcoin pode ultrapassar a marca dos 19 mil até o fim de 2018. Além disso, com a escassez de tokens, a mineração do dinheiro virtual também se tornará cada vez mais difícil e menos lucrativa, pois, quanto menos moedas sobrarem para minerar, menor será a “recompensa” por tal trabalho.

Vale a pena lembrar que os bitcoins são gerados sempre que um servidor blockchain realiza complexas operações matemáticas para validar um bloco de transações — uma tarefa que demanda um altíssimo poder computacional. O sistema então premia automaticamente as máquinas envolvidas com uma pequena quantidade de moedas, o que é chamado de mineração. Originalmente, um bloco continha 50 BTCs; hoje, ele contém apenas 12,5 BTCs.

Participe do nosso GRUPO CANALTECH DE DESCONTOS do Whatsapp e do Facebook e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.

Por conta dessa redução gradativa nas compensações por mineração, estima-se que as moedas restantes só “acabarão” daqui a 122 anos, ou seja, em 2140.

Fonte: CNBC

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.