Oito perguntas sobre: criptomoedas!

Por Rui Maciel | 07 de Junho de 2020 às 11h30
TMF Group

Ainda que o assunto Criptomoedas não seja algo exatamente estranho, o fato é que o tema ainda está distante da realidade de boa parte do público. E, de quebra, muitos ainda perdem uma oportunidade interessante de ganhar um bom trocado ao investir em moedas digitais, como, por exemplo, o tão famoso Bitcoin

Por isso, na segunda edição do "Oito perguntas sobre...", o Canaltech entrevistou Lucas Schoch, CEO da Bitfy - carteira digital multiuso de bitcoins - sobre o setor de criptomoedas, os cuidados para quem quer começar a investir nesse universo e se ainda é possível ganhar dinheiro de forma rápida na área.

Confira como foi o papo logo abaixo:

1 - Canaltech - Depois de um boom, puxado principalmente pelo Bitcoin, há alguns anos, as criptomoedas parecem ter se estabilizado. Hoje elas são um investimento para quem quer retorno a médio e longo prazo ou ainda é possível ganhar dinheiro com elas de forma rápida?

Lucas Schoch:. Em 29 de dezembro de 2019 o Bitcoin era cotado a US$ 7.317,65. Hoje ele está próximo de US$9.500,00, o que demonstra um ganho em 6 meses de 22,97%, enquanto o Ibovespa está em queda de -19.5% desde o início do ano.

Como a cotação mundial do Bitcoin é feita em dólares, qualquer mudança em relação ao valor do dólar perante ao real, gera muito impacto. Nos últimos 30 dias o dólar bateu quase 6 reais e agora está próximo de R$5, novamente o que gera uma volatilidade a ser considerada em análises de curto prazo. Por exemplo: Se o dólar subir 10% nos próximos dias e o Bitcoin continuar com o mesmo valor no mundo todo, seus ganhos com bitcoin vão subir 10%, sendo interessante para acompanhar a curto prazo.

Porém acredito sim que devemos olhar o Bitcoin como investimentos a médio e longo prazo sempre. Especulação diária é o foco de profissionais da área de Day Trade. Algumas mudanças na rede do Bitcoin como o Halving (evento que ocorre a cada quatro anos) aconteceram há poucos dias e historicamente eles trazem retornos a médio prazo, sendo médio prazo algo muito mais coeso.

2 - CT - Ainda há o risco de que as criptomoedas possam se tornar uma bolha?

L.S.: A especulação ainda é muito grande, mas o Bitcoin em si já tem um valor muito alto de mercado e um grande volume negociado diariamente. Em relação a criptomoedas recentemente lançadas, o que indico é que não comprem com base na valorização de poucos dias e sim, estudem sobre a empresa e o porquê daquela moeda ter sido criada. Caso acredite no projeto, nas pessoas e no motivo da criação da moeda, invista. Do contrário, compre Bitcoin.

3 - CT - Por que algumas criptomoedas, como o Bitcoin, tem alguns picos de cotação para depois retornarem a patamares mais estáveis?

L.S.: O Bitcoin e as criptomoedas no geral são extremamente voláteis, ou seja, seu preço muda muito e muito rapidamente. A principal causa da volatilidade é a concentração do Bitcoin com poucos investidores. Apesar de grandes nomes como o Medallion Fund terem entrado no mercado de criptomoedas, somente quando o Bitcoin fizer parte de portfólios de grandes investidores institucionais seu volume vai ser grande o suficiente para que quem tem muito Bitcoin não consiga interferir no preço da moeda, o que é a principal causa da volatilidade hoje.

 

4- CT - Muito se tem lido sobre pessoas que caem em golpes envolvendo criptomoedas. Que cuidados se deve tomar para não cair em roubadas na hora de investir nessa modalidade?

L.S.: Existe um cuidado básico e alguns outros mais específicos. Em primeiro lugar eu aconselho: seja dono dos seus Bitcoins. Quando você comprá-lo, seja através de uma corretora ou de algum conhecido que tenha, tenha uma carteira de Bitcoin. Somente quando você tem uma carteira você é realmente dono dos seus Bitcoins, não sendo possível que ninguém tenha acesso a seus fundos, nem a empresa fornecedora da carteira.

Outra dica importante é dar preferência à compra direto em sua carteira. Caso queira comprar em uma corretora ou peer-to-peer, procure mais informações sobre essa instituição na internet. Não confie em qualquer site que diz vender bitcoins.

Sempre que comprar os bitcoins, envie imediatamente para sua carteira. Mas tome cuidado pois muitas corretoras cobram muito caro para essa operação. Faça a conta.

5 - CT - Ainda que investir em criptomoedas tenha a sua dose de risco - como em qualquer outro investimento - que cuidados um interessado pode tomar para investir com certa estabilidade?

L.S.: Assim como qualquer outro investimento, precisamos diversificar. Cada um sabe quanto está disposto a arriscar, mas não deixe passar do ponto que você conseguirá dormir caso tenha grandes perdas. Minha sugestão para uma pessoa que está entrando em criptomoedas é que invista primeiro em Bitcoin e não em diversas criptomoedas. Isso como uma parte não tão significativa do portfólio de investimento da pessoa (por exemplo 5-10% de todos seus investimentos). Com o passar do tempo, com mais conhecimento e compreensão sobre o assunto,  a ideia é que o investidor vá adicionando criptomoedas a seu portfólio.

 

Lucas Schoch: CEO da Bitfy

 

6 - CT - Além do Bitcoin, que outras criptomoedas estão se destacando nesse mercado e que valem a atenção do investidor?

L.S.: Algumas moedas como o Ether (Ethereum) tem por trás um aspecto tecnológico muito forte, o que faz com que programadores consigam criar produtos e ferramentas utilizando as vantagens do Blockchain como segurança,  por exemplo. Isso faz com que o Ethereum seja amplamente usado, tornando-se cada vez mais sólido como tecnologia e gerando mais valor para sua rede. Outra empresa que temos que ficar de olho é a Ripple, que tem como moeda o XRP. É uma das moedas mais fortes do momento. Ela tem lastro de valor derivado do uso do produto da Ripple, um produto de remessas internacionais via Blockchain mais inteligente e veloz quando comparado aos mecanismos atuais. Quanto mais empresas e países utilizarem esse produto, maior valor existirá em sua moeda.

7 - CT - Como está a adoção das criptomoedas junto ao comércio em geral e também às processadoras de pagamento como Cielo, Stone, PagSeguro, etc ? 

L.S.: Em um futuro não tão próximo, transações serão feitas de ponto-a-ponto entre o comerciante e o comprador, sem grandes fluxos intermediando esse mecanismo. Mas eu acredito que isso vai levar algum tempo. As empresas que veem esse avanço de maneira semelhante a nós têm sido receptivas, adotando os cuidados necessários para permitir que façamos integrações com elas. A Cielo, por exemplo, aceita que os clientes da Bitfy façam uso de seus bitcoins em qualquer uma das 1.5 milhão de máquinas disponíveis no varejo por meio de QR Code.  Criamos um mecanismo para se adequar às necessidades deles. Em um curto-médio prazo outros estarão com mecanismos semelhantes, o que dará às criptomoedas a possibilidade de finalmente serem utilizadas como moedas, não somente como investimento.

A adoção de criptomoedas será cada vez mais comum nas maquininhas de pagamento

8 - CT - Com a instabilidade do mercado, vale a pena investir em qual criptomoeda neste momento e por que?

L.S.: O Bitcoin é a porta de entrada para esse novo mercado. Não aconselho pessoas investirem em criptomoedas que não o Bitcoin sem estar ao menos seis meses dentro desse mercado. Após esse período, consumindo conteúdo e acompanhando o cenário, ela  certamente já terá algumas outras moedas em mente.

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.