Facebook contrata empresa de lobby para atuar em favor da Libra

Por Felipe Demartini | 27 de Agosto de 2019 às 12h55
Getty Images
Tudo sobre

Facebook

Saiba tudo sobre Facebook

Ver mais

O Facebook registrou a contratação de uma empresa de lobby para trabalhar em favor da Libra, sua própria criptomoeda, junto a políticos e reguladores nos Estados Unidos. De acordo com os papéis apresentados ao senado norte-americano nesta semana, a rede social será representada pela FS Vector LLC, numa companhia, justamente, voltada para os setores de políticas públicas e regulamentação.

Mais do que isso, a companhia conta com executivos de experiência no mercado de criptomoedas e, já há alguns anos, vem trabalhando de forma quase que exclusiva em questões relacionadas à regulação do dinheiro virtual e no uso oficial de blockchains. Seu lobista principal, por exemplo, é John Collins, que antes de se unir à FS Vector era nada menos do que diretor de políticas da Coinbase, uma das principais operadoras globais do setor.

É esse tipo de expertise que o Facebook precisa no lançamento conturbado da Libra, que deveria ser uma revolução em termos de pagamentos digitais e uma bela fonte de renda para a companhia, mas que vem cada vez mais esbarrando em desafios regulatórios. Os políticos e órgãos de regulação americanos não estão satisfeitos com o andamento dos trabalhos e nem com a atitude da companhia diante dos obstáculos oficiais, com uma queda de braço que ainda parece longe de terminar — mas que a rede social espera ganhar com a ajuda do lobby.

Vale a pena citar que, ao contrário do que se pensa sobre o assunto no Brasil, essa é uma atividade legal e regulamentada nos EUA. A contratação de empresas que atuem ou exerçam pressão sobre o poder público para aprovação de medidas ou regulações está prevista na Constituição, desde que esse trabalho seja feito de forma ética e siga certas regras. No caso da FS Vector e do Facebook, por exemplo, há a obrigação de registrar os resultados dos trabalhos e seu andamento a cada trimestre.

Entre as informações que precisam ser registradas estão a entrada de novos membros para a equipe de lobistas, as questões que estão sendo discutidas com legisladores e também um eventual fim do relacionamento entre as companhias. Com o registro feito no último dia 23 de agosto, a FS Vector e o Facebook agora precisam informar oficialmente o andamento desses trabalhos iniciais até meados de novembro.

A contratação da firma de lobby também vem como um possível ponto positivo em uma história recente de dificuldades. O diretor da Calibra, David Marcus, passou por uma sabatina no Senado americano em julho e, ao falarem sobre a criptomoeda do Facebook, os políticos deixaram bem claro que não confiam na empresa, principalmente agora que ela quer que os usuários entreguem dinheiro a ela em troca de tokens virtuais que estão sob seu controle.

A conversa também não teria agradado aos investidores, já que, de acordo com informações extraoficiais, muitos dos convidados e early adopters da Libra estariam retirando seus aportes financeiros ou mantendo uma postura de distanciamento da empresa. A indicação geral é que os planos ambiciosos do Facebook, que pretende adotar a criptomoeda como método padrão em todos os seus serviços e também fora dele, podem não ter tanto sucesso quanto a própria esperava.

Além do registro oficial, entretanto, não existem informações sobre o andamento dos trabalhos. O Facebook, por diversas vezes, se mostrou solícito e declarou estar disposto a trabalhar com as autoridades para chegar a um acordo sobre a Libra, e isso vale não apenas para os EUA como também para o restante do mundo, incluindo países emergentes, onde a batalha pode ser ainda mais difícil e a contratação de empresas de lobby não é um dispositivo legal.

Fonte: The Next Web, Pro Publica

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.