Criptomoeda vai financiar construção de usina solar fotovoltaica no Brasil

Criptomoeda vai financiar construção de usina solar fotovoltaica no Brasil

Por Roseli Andrion | Editado por Claudio Yuge | 04 de Janeiro de 2022 às 19h40
Reprodução/Envato

A primeira usina de energia solar fotovoltaica do Brasil construída com recursos de criptomoedas vai usar as taxas de transação da moeda digital EnyCoin como financiamento. Marcos Silva, CEO da EnergyPay, diz que a unidade será entregue em dezembro de 2022.

O ativo é visto como tendência e representa geração renovável de energia. É uma opção que oferece retorno financeiro em curto e longo prazos, bem como uma fonte energética com menor risco que opções fósseis, como petróleo, carvão mineral e gás natural — cuja principal desvantagem é a poluição ambiental.

A compra do ativo representa, então, um incentivo para a descarbonização, um aumento na produção de energia limpa no Brasil e no mundo, e uma diminuição no aquecimento global. Além disso, a construção da usina é uma boa forma de diversificar a matriz energética nacional, para ajudar a evitar apagões ou rodízios em tempos de crise hídrica.

Usina de energia solar vai ser financiada por transações com criptomoeda (Imagem: Reprodução/Freepik/xb100)

A cidade escolhida para a instalação da primeira usina do tipo foi Itaobim, em Minas Gerais. Depois, os Estados da Bahia e do Rio de Janeiro (polos importantes na produção de energia renovável no País) também devem receber unidades semelhantes.

Fabiano Fernandes, prefeito de Itaobim, diz que “a obra gerará emprego e renda para o município, além de energia limpa, sustentável e renovável para todo o Estado de Minas Gerais”. O projeto é um complexo de energia solar de grande porte, que vai converter a luz do sol em corrente alternada. Ela depois será transmitida em forma de energia elétrica, para a rede do Sistema Interligado Nacional (SIN).

A usina ficará em uma área isolada e a energia será enviada aos centros urbanos por linhas de transmissão. Cada polo deve trabalhar com 1 MW de potência — o suficiente para abastecer 10 mil casas, no mínimo, já que cada residência mineira consome, em média, 121,6 KW/mês.

Segundo a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), o Brasil tem 4.357 usinas fotovoltaicas em operação, com capacidade de aproximadamente 3,84 GW. As mais potentes, em termos operacionais, são:

  • Parque Solar São Gonçalo, com 608 MW (em São Gonçalo, no Piauí)
  • Complexo Solar Pirapora, com 321 MW (em Pirapora, em Minas Gerais)
  • Parque Solar Nova Olinda, com 292 MW (em Ribeira do Piauí, no Piauí)
  • Complexo Solar Ituverava, com 292 MW (em Tabocas do Brejo Velho, na Bahia)
  • Parque Solar Lapa, com 168 MW (em Bom Jesus da Lapa, na Bahia)

Como a EnergyPay funciona

O custo das obras das usinas solares será dividido em frações e cada uma delas será composta de tokens. A construção, então, terá quatro etapas:

  • taxa de transação: uma parte é destinada ao empreendimento;
  • tokenização: os interessados compram os tokens das usinas solares;
  • compradores privados: grupos receberão propostas para viabilizar as obras;
  • reinvestimento: para o desenvolvimento da usina, haverá o reinvestimento até que a meta de construção de 15 MW seja atingida.

Dessa forma, o comprador de EnyCoin é um colaborador ativo da usina solar e recebe uma fração da empresa. Com isso, ele ganha tanto com a valorização do ativo financeiro quanto com os percentuais de venda de energia.

Silva aponta que o interesse do mercado em ativos sustentáveis é irreversível, já que essas práticas têm se tornado fator de competitividade para as empresas. “Não há como voltar ao passado: a cada dia, a preocupação com o meio ambiente se tornará o direcionamento do processo produtivo para uma gestão eficaz.”

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.