Amazon cria sistema que busca erros e otimiza códigos de seus serviços em nuvem

Por Wagner Wakka | 01 de Julho de 2020 às 23h20
Reprodução
Tudo sobre

Amazon

Saiba tudo sobre Amazon

Ver mais

A Amazon lançou um novo produto para o Amazon Web Services (AWS), seu braço de infraestrutura de nuvem. Chamado de CodeGuru, o sistema usa machine para analisar linhas de código, arrumando possíveis bugs e sugerindo modificações que podem deixar a plataforma mais barata para o usuário.

Segundo a Amazon, o sistema foi criado a partir da análise de milhões de linhas de códigos do GitHub e de aplicativos em código aberto e internamente na Amazon. “Com o CodeGuru, você pode encontrar e corrigir problemas de código, como vazamentos de recursos, possíveis condições de disputa de simultaneidade e ciclos de CPU desperdiçados”, explica a companhia em apresentação.

A tecnologia atualmente funciona somente em aplicativos em Java, mas a companhia promete expandir as linguagens em breve. A plataforma funciona com duas ferramentas distintas.

A primeira é a CodeGuru Profiler. Esta é a que ajuda a otimizar as linhas de código, para reduzir utilização de CPU e, consequentemente, reduzir custos. “O CodeGuru Profiler fornece recomendações específicas para que você possa agir imediatamente em questões como recreação excessiva de objetos caros, desserialização cara, uso de bibliotecas ineficientes e registro excessivo”, informa a empresa.

O segundo é o CodeGuru Reviewer. Aqui, a ferramenta detecta possíveis desvios de práticas recomendadas em conjuntos de aplicações (APIs, na sigla em inglês) e kits de desenvolvimento (SDKs) da AWS, ajudando a identificar erros comuns na plataforma.

“Ele detecta problemas de simultaneidade, como violações de atomicidade e o uso de classes que não são seguras para as linhas, difíceis de encontrar, mesmo para programadores experientes. Ele detecta quando os recursos são fechados incorretamente, criando problemas de latência e interrupções. Ele também identifica a validação correta das entradas, nas quais entradas não autorizadas podem levar a problemas como ataques de injeção ou negação de serviço”, descreve a empresa.

Segundo a AWS, o sistema é “barato” com valor de 0,005 US$(R$ 0,0266 na conversão direta) por hora de amostragem por perfil de aplicativo e US$ 0,75 (R$ 3,99) para análise de 100 linhas de código por mês. “Por exemplo, se você tiver uma solicitação de recebimento típica com 500 linhas de código, custaria apenas US$ 3,75 (R$ 19,94) para executar o CodeGuru Reviewer nela”, pontua o comunicado.

O sistema está disponível no Brasil somente em versão de demonstração e conta com 90 dias de utilização gratuita para novos usuários.

Fonte: Amazon Web Services

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.