Vício em redes sociais pode provocar hiperatividade em jovens

Por Natalie Rosa | 18 de Julho de 2018 às 12h30
Reprodução

O vício em redes sociais pode causar falta de atenção e hiperatividade em adolescentes, segundo um estudo realizado na Universidade do Sul da Califórnia.

Os pesquisadores responsáveis pelo estudo chegaram à conclusão que as notificações de redes sociais como o Facebook e Twitter atrapalham e impendem os jovens de se concentrarem por longos períodos de tempo. Essa distração constante aliada à sensação de gratificação instantânea é crucial para o desenvolvimento do transtorno. 

Adam Leventhal, professor de medicina preventiva e um dos responsáveis pelo estudo, conta que a pesquisa foi feita com 2.800 jovens entre 15 e 16 anos, em 10 escolas diferentes na cidade de Los Angeles.

Participe do nosso GRUPO CANALTECH DE DESCONTOS do Whatsapp e do Facebook e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.

As perguntas eram relacionadas aos sintomas da hiperatividade e os hábitos de cada jovem nas redes sociais, com opções como "estou facilmente distraído" e "não escuto quando conversam diretamente comigo", por exemplo.

Também foi apresentado aos participantes um questionário para que eles classificassem a frequência com que usavam 14 tipos diferentes de mídias digitais, incluindo redes sociais, mensagens de texto, jogos online, entre outros.

Resultados

200 alunos que já apresentavam os sintomas da hiperatividade foram eliminados da pesquisa, restando 2.600 participantes. O mesmo questionário foi aplicado a esses adolescentes várias vezes durante dois anos.

O resultado do estudo mostrou que 495 dos adolescentes que não usavam as redes sociais com frequência tinham 4,6% de chances de apresentar sintomas de hiperatividade. Já os 114 estudantes que afirmavam usar sete das 14 plataformas com frequência apresentaram 9,5% de chances sofrer da condição.

A probabilidade de sofrer de hiperatividade subiu para 10,5% entre os 51 alunos que afirmaram utilizar todas as 14 plataformas várias vezes ao dia.

O estudo completo está disponível online no JAMA Network.

Fonte: Telegraph

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.